Por pacto com Satã, organização católica brasileira é investigada pelo Vaticano

Doutrina também estaria fazendo uma conspiração pela morte do papa Francisco

Postado por Redação em 19 de Junho de 2017 às 14h52
Atualizado em 19 de Junho de 2017 às 15h55

A sociedade católica brasileira Arautos do Evangelho estaria sob a investigação do Vaticano por suspeitas de um “aparente pacto com Satã sobre a morte do papa Francisco”. A Organização é uma dissidência ultraconservadora da Tradição, Família e Propriedade, a TFP.

O assunto surgiu no Brasil por meio de uma nota  publicada nesta segunda-feira (19), pelo colunista Nelson de Sá, do jornal Folha de São Paulo, mas já está sendo veiculado na Europa e nos Estados Unidos, desde a última quarta-feira (14), quando foi publicado pelo jornal italiano “La Stampa”, em matéria do jornalista Andrea Tornielli.

Depois foi noticiado pelo Daily Beast, dos Estados Unidos, e o Daily Mail, da Inglaterra. A imagem que ilustra a matéria é a manchete do Daily Beast do último fim de semana.

Conforme o vaticanista Andrea Tonielli, a evidência é um vídeo que vazou no qual o monsenhor João Scognamiglio, líder da organização brasileira discute assuntos relativos a exorcismos em uma reunião da organização.

Ainda de acordo com a matéria do “La Stampa”, escrita em italiano, o monsenhor já renunciou ao cargo. As notícias ainda não foram confirmadas pelo Vaticano.

O Papa e o Diabo

Recentemente, em uma homilia, o Papa Francisco deixou bem claro seu posicionamento a respeito do diabo. Para ele há quem diga que o diabo é apenas uma figura simbólica do mal, que não existe realmente, apesar da Sagrada Escritura, assim como todo o Magistério da Igreja e todos os papas terem dito que existe. “Como é que um católico pode negar algo tão evidente?”, se pergunta o pontífice.

<>