Amor na carne

Filme goiano ganha as telas do Festival Internacional de Cinema Super 8

Postado por Leon Carelli em 13 de Julho de 2017 às 14h35

O curta-metragem Nossos Podres, dirigido por Gustavo Cardoso, estudante do curso de Cinema e Audiovisual da UEG, marcou presença na quarta edição do Super Off – Oficinas, Filmes e Festival Internacional de Cinema Super 8, realizado em São Paulo entre os dias 6 e 9 de julho. A obra resgata o uso de técnicas analógicas em produções audiovisuais, cada vez menos visitadas pelos novos realizadores. O projeto concorreu na categoria Super 8/48h, que propõe que todo o processo de criação seja feito em dois dias. O curta narra, de maneira metafórica, a descoberta do amor por três adolescentes (Letícia, Pedro e Marina), e a forma como os sentimento sedimenta-se com intensidades diferentes dentro de cada um deles.

A equipe responsável pela captação das imagens engloba três cursos de duas universidades. Do Cinema e Audiovisual da UEG (Gustavo Cardoso, Marcos Bruno Borges, Victor Palhares, Carolina Matos e Mayara Varalho); da direção de arte da UFG (João Matheus e Bezerra Júnior) e do Teatro da UFG (Alyne Oliveira, Rayssa Regina e Rodrigo Antônio). A produção ficou por conta de Sidi Leite, e o filme também contou com a colaboração do desenhista Ric Costa e com a orientação de Rafael Almeida, professor de Cinema da UEG.

Making-off (FOTOS: MAYARA VARALHO)

Making-off (FOTOS: MAYARA VARALHO)

De acordo com a sinopse, o filme utiliza a própria carne humana como alicerce para representar o poder degenerativo das paixões não correspondidas. “Quando o amor cai nos adolescentes, através de sua primeira experiência amorosa, a decomposição começa. Seus membros começam a apodrecer e há uma atração irreversível por carne humana”. Na narrativa, são apresentados os dois lados: o de quem ama e o de quem se vê estéril, mesmo diante das doses incandescentes do sentimento oferecidas pelos apaixonados. “A mão direita de Letícia é a primeira parte do corpo a se deteriorar, o pescoço em Pedro. Manu está intacta, mesmo depois das tentativas dos dois amigos em iniciar a sua decomposição”.

O diretor do curta, Gustavo Cardoso, é um ex-membro do Coletivo Cabeça de Câmera, formado por alunos da UEG. Participou da produção dos filmes Dejejum [2014] (de Samuel Peregrino melhor filme na 13a Mostra de Audiovisual Universitário América Latina da UFMT; e no Festival Audiovisual do Vera Cruz, Goiânia); Ensaio sobre o fim do mundo [2015] (de Peregrino e Jonatas Borges – selecionado para o FICA e para a Mostra ABD 2016); Imbilino vai ao cinema [2017] (também de Samuel Peregrino – documentário veiculado no canal Futura) e Sódio [2017] (de Pedro Gomes e Marcos Bruno Borges – selecionado para a Mostra ABD 2017). Também atuou como assistente de fotografia no clipe da canção ‘Murderer’, da banda goianiense The Galo Power.

19987213_664486077080697_661827344_n

Formato

Utilizada principalmente como uma opção popular para a produção de vídeos amadores e de acervos familiares, a película Super 8 foi desenvolvida pelo grupo Eastman Kodak em 1965, como uma atualização do antigo formato, o filme de 8 milímetros comum. Com perfurações menores na lateral, o Super 8 permite uma maior área de exposição do filme que seu antecessor. Além da Kodak, várias outras empresas importantes do mercado da fotografia, como a Nikon e a Canon, lançaram equipamentos compatíveis com a película. No cinema, era frequentemente associado às produções de baixo orçamento ou de teor experimental. Nos Estados Unidos, cineastas como Stan Brakhage e Mason Shefa são alguns dos nomes que trabalharam suas linguagens através do formato.

Atualmente, como os gigantescos avanços tecnológicos na forma de registrar imagens digitalmente, o uso do super 8 evoca décadas passadas, e também passou a ser visto como uma opção artesanal de produzir filmes, bem como uma alternativa estética aos formatos de filme mais utilizados, como o 35 milímetros. Vários festivais exibem exclusivamente filmes em Super 8. No Brasil, além do Super Off, o Curta8 (Festival Internacional de Cinema Super 8 de Curitiba) já está na 13ª edição e é outro evento que incentiva a produção de filmes no formato. Em 2005, o curta-metragem The Man Who Met Himself, dirigido pelo cineasta britânico Ben Crowe, foi o primeiro filme em super 8 a ser indicado à Palma de Ouro, prêmio máximo do Festival de Cannes, realizado na França.