Furacão destrói encanto

Atlético é surpreendido por xará paranaense, perde invencibilidade no Estádio Olímpico

Postado por Nasser Najar em 17 de Junho de 2017 às 22h35
Atualizado em 17 de Junho de 2017 às 22h36

Existe alguma sina que impede o Atlético-GO de conseguir duas vitórias seguidas. Após vencer o Avaí em casa, o Dragão recebeu novamente no Olímpico o lanterna da competição, o Atlético-PR. Porém saiu derrotado por 1 a 0 em um jogo muito movimentado e com grandes chances para os dois lados. O jogo foi bom, mas o resultado ruim, que joga o time goiano no Z-4 novamente.

Além de não conseguir uma sequência na temporada, o time goiano perdeu a sua primeira partida no novo Estádio Olímpico, que foi inaugurado no ano passado. Agora o próximo compromisso é uma pedrada: encarar o Palmeiras fora de casa, nesta quarta-feira (21), às 21h.

 

O Jogo 

É difícil começar qualquer jogo com motivação ou esperança de quebrar o tabu de nenhuma sequência de vitórias em 2017 quando com apenas três minutos o adversário abre o placar na primeira chegada ao ataque.

A bola rolou e assim que o Furacão teve a posse subiu ao ataque e Douglas Coutinho, com liberdade, conduziu até perto da meia-lua e finalizou. Felipe espalmou e no meio da área, absolutamente sozinho igual um Robinson Crosue, Sidcley apenas empurrou para o gol vazio.

Esse gol deu emoção, pois os times se abriram e se lançaram ao ataque. O goiano mantinha posse e o paranaense nos contra-ataques. Com duas chegadas perigosas com Grafite aos 10 e 11 min, quase ampliou.

Dragão respondeu muito bem em três chegadas de quase gol. Igor cabeceou para o chão e Weverton defendeu à queima-roupa, depois Everaldo chutou e o goleiro desviou, a bola bateu no travessão e por fim um pênalti sofrido por Igor que Everaldo bateu para longe do gol. Tudo isso dentro de cinco minutos.

O jogo seguiu lá e cá, bastante movimentado e com chances e chegadas perigosas de cada lado. O Furacão quase ampliou no fim com Sidcley, que finalizou dentro da área e a bola quase foi no ângulo.

Na volta do intervalo, o jogo perdeu bastante a intensidade, o time visitante saiu reclamando do calor e nitidamente veio com a proposta de se defender. Fechou o time e não subiu para o ataque como fez várias vezes na etapa inicial.

Já o Dragão não estava bem também. Voltou controlando as ações do jogo, mas não estava criando as mesmas oportunidades claras de gol. Tinha a posse, jogava do meio-campo para frente, mas não levava perigo real de gol.

A boa chegada do campineiro foi aos 10, Andrigo bateu forte e a bola foi pela rede do lado de fora e enganou a torcida no estádio. Mas os donos da casa também estavam cansados e deixando o jogo mais arrastado.

Cada time teve mais uma oportunidade antes do jogo acabar, com duas defesas boas dos arqueiros e o placar manteve abaixo do que foi produzido em campo.

7-2