A esquerda é ótima para destruir!

Palavra do Povo

Postado por Mara Montezuma Assaf em 12 de Julho de 2017 às 21h26

A es­quer­da, se­ja na­ci­o­nal ou in­ter­na­ci­o­nal, é um de­sas­tre en­quan­to go­ver­no, tu­do com­pro­va­do pe­la his­tó­ria. Mas são de ti­rar o cha­péu en­quan­to opo­si­ção, pois eles mi­nam  à sor­rel­fa, so­la­pam o ad­ver­sá­rio co­mo ini­mi­gos fe­ro­zes, até con­se­guir seu ob­je­ti­vo que é se apos­sar  ou se re­a­pos­sar do po­der. A ver­da­de é cla­ra, Dil­ma so­freu  “ofi­ci­al­men­te” im­pe­achment por pe­da­la­das fis­cais, mas a ver­da­de to­tal e que , por fi­ru­las le­gais não apa­re­ce,  é a de que tan­to Lu­la quan­to ela le­va­ram es­te pa­ís à si­tu­a­ção de ter­ra ar­ra­sa­da por ver­da­dei­ra pra­ga de ga­fa­nho­tos vo­ra­zes! Os de­ta­lhes a Ope­ra­ção La­va Ja­to já tra­tou de nos es­cla­re­cer  so­bre is­so. Es­ta­mos ago­ra em meio a pro­ces­so di­fí­cil e len­to de re­cu­pe­ra­ção da eco­no­mia e da au­to es­ti­ma aba­la­da mas que cor­re o ris­co imi­nen­te de ser in­ter­rom­pi­do.  Nem to­dos se aper­ce­bem que es­ta cam­pa­nha mas­sa­cran­te que so­fre Te­mer , que po­de le­va-lo pa­ra fo­ra do car­go, na­da mais é de que uma or­ques­tra­ção da es­quer­da  po­lí­ti­ca e da mi­li­tân­cia  ins­ta­la­da em di­fe­ren­tes ór­gão , até nas gran­des em­pre­sas de co­mu­ni­ca­ção pa­ra for­jar um am­bi­en­te de in­go­ver­na­bi­li­da­de que não exis­te e uma cri­se po­lí­ti­ca pré-fa­bri­ca­da. Não se aper­ce­bem que são usa­dos co­mo mas­sa de ma­no­bra in­con­sci­en­te e in­ge­nua­men­te fa­zem co­ro ao man­tra Fo­ra Te­mer . Tal­vez o PT, o PSOL, a RE­DE ga­nhem es­ta pa­ra­da…e nós ve­re­mos o po­der vol­tar às mãos da­que­les que des­tru­í­ram nos­so pa­ís .  E no­va­men­te te­re­mos nos­sos ou­vi­dos en­tu­pi­dos por dis­cur­sos bo­li­va­ri­a­nos, e o qua­dro da Ve­ne­zu­e­la , ago­ra ar­ra­sa­da , se­rá nos­so re­fe­ren­ci­al de de­sen­vol­vi­men­to . Pa­ra­béns Lu­la!

(Ma­ra Mon­te­zu­ma As­saf, via e-mail) 

 


Artistas mal acostumados 

Um mo­vi­men­to de ar­tis­tas ba­ti­za­do de (342), en­ca­be­ça­do por di­ver­sos ar­tis­tas, vai lan­çar se­gun­da-fei­ra, dia 10, um si­te com a in­ten­ção de vo­to de ca­da de­pu­ta­do fe­de­ral a res­pei­to da de­nún­cia por cor­rup­ção pas­si­va con­tra o pre­si­den­te Mi­chel Te­mer, elei­to vi­ce-pre­si­den­te da cha­pa Dil­ma/Te­mer/PT. A Dil­ma já foi, e pa­ra on­de os ar­tis­tas que­rem man­dar o Te­mer?

Diz a apre­sen­ta­do­ra Fer­nan­da Li­ma que es­tá na ho­ra de co­nhe­cer os nos­sos de­pu­ta­dos e pres­sio­na-los pa­ra fa­zer com que Te­mer se­ja jul­ga­do, de­ve sim, in­clu­si­ve os an­te­rio­res du­ran­te o go­ver­no pe­tis­ta. To­dos de­vem ser jul­ga­dos, tam­bém os de fo­ro pri­vi­le­gi­a­do que es­tão nas mãos do STF há mais de 10 anos es­pe­ran­do a be­ne­vo­lên­cia ma­ra­vi­lho­sa da ‘pres­cri­ção pe­nal’ in­clu­in­do nes­sa o go­ver­no pe­tis­ta que li­be­rou ver­bas bi­lio­ná­rias pa­ra a JBS-Fri­boi e Re­de Glo­bo com pro­pi­nas pa­ra com­prar qua­se du­ais mil au­to­ri­da­des du­ran­te o go­ver­no pe­tis­ta, a des­tru­i­ção eco­nô­mi­ca do pa­ís e a res­pon­sa­bi­li­da­de con­se­quen­te por mais de 14 mi­lhões de tra­ba­lha­do­res de­sem­pre­ga­dos.

Fer­nan­da Li­ma, es­se gru­pi­nho de ar­tis­tas são os co­nhe­ci­dos chu­pins das ver­bas do Mi­nis­té­rio da Cul­tu­ra, Lei “Rou­a­net”, es­sa bron­ca não se­ria por­que a tor­nei­ra dos im­pos­tos pa­gos pe­los tra­ba­lha­do­res con­tri­buin­tes fo­ram fe­cha­das pe­lo pre­si­den­te Te­mer a vo­cês, Re­de Glo­bo e JBS-Fri­boi?

(Be­no­ne A. de Pai­va, via e-mail) 

 


Trabalhador cobre rombo 

Paulo Panossian

Nes­te Pa­ís em que o cri­me pa­ra mui­tos ain­da com­pen­sa, di­fí­cil é a vi­da de uma apo­sen­ta­da de 86 anos, co­mo a Ma­ria Au­gus­ta, que se apo­sen­tou tra­ba­lhan­do na Cai­xa Eco­nô­mi­ca, e que de­vi­do a gra­ves ilí­ci­tos pra­ti­ca­dos na era pe­tis­ta na ad­mi­nis­tra­ção dos fun­dos de pen­são, es­ta se­nho­ra que con­tri­bu­ía por mês R$ 99,90, pa­ra o Fun­cef, ago­ra pa­ra co­brir um rom­bo de R$ 12 bi­lhões, te­rá um des­con­to nos seus pro­ven­tos de R$ 379,20! De sua apo­sen­ta­do­ria de R$ 3.564,00, Ma­ria Au­gus­ta, ain­da gas­ta R$ 1 mil com re­mé­di­os… Nes­tas con­di­ções, es­tão 220 mil fun­cio­ná­rios e apo­sen­ta­dos de três fun­dos, co­mo o Fun­cef, da Cai­xa, o Pos­ta­lis, dos Cor­rei­os, e Pe­tros, da Pe­tro­brás, que so­ma­dos os rom­bos al­can­çam o mon­tan­te exor­bi­tan­te de R$ 46,2 bi­lhões. E tam­bém pró­xi­mos de ar­car com rom­bo de R$ 13,1 bi­lhões, es­tão os 103,1 mil fun­cio­ná­rios e apo­sen­ta­dos do Fun­do Pre­vi, do Ban­co do Bra­sil. E  au­men­tan­do  a nos­sa in­dig­na­ção, é in­con­ce­bí­vel que  es­ses di­ri­gen­tes cor­rup­tos es­te­jam ain­da li­vres e sol­tos…

(Pau­lo Pa­nos­si­an, via e-mail) 

 


Dirceu volta com tudo? 

De­pois da li­ber­da­de pro­vi­só­ria de Jo­sé Dir­ceu, pa­re­ce que o PT en­ro­la­do até a al­ma em cor­rup­ção, to­mou for­ça, vol­ta com a mes­ma can­ti­le­na de “éti­ca e mo­ral”, e nos bas­ti­do­res co­me­çam a tra­mar pa­ra a que­da do pre­si­den­te Te­mer. Apoi­am “en­tre as­pas” Ro­dri­go Maia co­mo su­ces­sor, pa­ra em se­gui­da ca­ir em ci­ma de­le, pre­pa­ran­do ter­re­no pa­ra Lul­la em 2018. Es­tá tão ób­vio que che­ga a ser cô­mi­co, in­clu­si­ve com a aju­da do PGR Ro­dri­go Ja­not, que se­gu­ra de­nún­cias da JBS con­tra Lul­la e Dillma, aju­dan­do as­sim ver­go­nho­sa­men­te na tra­ma. To­dos nós sa­be­mos que Dir­ceu sem­pre foi o “cé­re­bro” da Or­crim e te­ve en­car­ce­ra­do tem­po su­fi­ci­en­te pa­ra tra­mar a sa­í­da do im­bró­glio em que o PT se me­teu. Mas nas re­des so­ci­ais quan­to mais se ar­vo­ram, mais a di­rei­ta to­ma fo­le­go. Que bom, por­que não exis­te dis­tri­bui­ção de ren­da sem o ca­pi­ta­lis­mo tra­ba­lhan­do à mil, que o PT fez ques­tão de des­tru­ir. Is­so os 14,2 mi­lhões de pa­is de fa­mí­lia de­sem­pre­ga­dos, não es­que­cem.

(Be­a­triz Cam­pos, via e-mail) 

 


Presidentes ornitológicos 

Atu­al­men­te o mun­do tem 3 pre­si­den­te sob for­te in­flu­ên­cia da Or­ni­to­lo­gia. Na Ve­ne­zu­e­la Ni­cho­las Ma­du­ro “fa­la” com Hu­go Cha­vez in­cor­po­ra­do num pas­sa­ri­nho que só ele vê.  Nos USA, Do­nald Trump só fa­la via um pas­sa­ri­nho (Twit­ter); já no Bra­sil Mi­chel Te­mer só quer ou­vir os Tu­ca­nos fa­la­rem sim, mas to­da­via se­guem mu­dos. En­quan­to is­so, o po­vo já es­tá cha­man­do Uru­bu de Meu Lou­ro

(Clau­dio Ju­chem, via e-mail)