Enviado em 17/03/2014 às 17h19

Destroços achados no Estreito de Malaca podem ser de avião

Wellynton Ribeiro
Wellynton Ribeiro

Um tanque petroquímico grego teria recebido pedidos para observar possíveis objetos flutuantes próximo ao Estreito de Malaca, como malas e partes de avião, porém poderia aproximar de uma “área de destroços" e ter a ação não realizada.

De acordo com o site New Straits Times, a barcaça “Elka Athina”  teria sido alertada por autoridades da Indonésia pelo rádio. Sites gregos noticiaram trechos de conversas pelo rádio que indicariam que outros barcos foram avisados sobre coordenadas do Estreito.

Outra prova que os usuários do Twitter postaram uma imagem de satélite com “possíveis assentos flutuantes” na superfície do oceano. 

A busca pelo avião da Malysia Airlines MH370 chega ao seu 10º dia, no total de 26 países envolvidos. Entre eles a Austrália está responsável pela área ao sul da Malásia. Já a Índia negou que seus radares tenham captado sinais em seu território do voo.