Brasil

Desmatamento e aquecimento global são temas de evento sobre clima que começa nesta segunda, em Salvador

O evento "A Semana Latino-Americana e Caribenha sobre Mudança do Clima", realizada pela ONU em Salvador começa nesta segunda(19) e segue até sexta(23)

diario da manha
Foto; Reprodução

As mudanças climáticas, aquecimento global, aumento do desmatamento na floresta amazônica e a suspensão de doações da Alemanha e Noruega para o Fundo Amazônia são as pautas do encontro que começa nesta segunda-feira (19) em Salvador (BA). O evento “A Semana Latino-Americana e Caribenha sobre Mudança do Clima”, realizada pela ONU (organização das Nações Unidas)segue até a próxima sexta-feira (23).

A programação da Semana Latino-Americana e Caribenha sobre Mudança do Clima na capital baiana, tem mais de 3,5 mil inscritos e conta com representantes de 26 países. Além de palestras sobre o meio ambiente e mudanças climáticas, também acontecem durante a semana, atividades como passeio ciclístico, workshops e até shows musicais com Gilberto Gil e Carlinhos Brown.

O encontro, organizado pela Convenção-Quadro das Nações Unidas (UNFCCC), é um dos eventos preparatórios da Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas, que será realizada em dezembro, em Santiago, no Chile.

Declarações nocivas

O Brasil havia sido eleito país-sede para a convenção mas, no fim do ano passado, o governo federal desistiu de sediar o acontecimento. Alegou que não teria como desembolsar R$ 500 milhões para sua realização.

No último domingo governadores de oito estados da região da Amazônia divulgaram nota protestando sobre declarações do governo brasileiro que segundo eles, gerou a suspensão dos repasses para a preservação da Amazônia.

Na ocasião, Bolsonaro (PSL) criticou a divulgação de dados sobre desmatamento segundo monitoramento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Além disso,o presidente disse que o Brasil não precisa do dinheiro alemão para preservar a floresta. Também disse que a Noruega “não tem nada a dar exemplo para nós”.

*Com informações do G1

Comentários