cidades

Projeto abre vagas de emprego para dependentes químicos em tratamento, em Goiás

diario da manha
Foto: Reprodução

O deputado estadual delegado Eduaro Prado (PV) propôs um projeto de lei que destina vagas de emprego a usuários de drogas que estão em tratamento. A proposta foi encaminhada a Comissão de Constituição Redação e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego).

O parlamentar lembrou que por um período de cinco anos atuou como delegado da Delegacia Estadual de Repressão à Narcóticos (Denarc) e que tem conhecimento da luta dos dependentes químicos para conquistar uma vaga no mercado de trabalho.

Para o delegado, é preciso uma política mais incisiva no combate ao tráfico de drogas, prender os grandes traficantes, mas não pode ser esquecido o lado social. “No período que trabalhei como delegado da Denarc sempre observei a questão social, pois os usuários acabam ficando desamparados pelo Estado e isso é uma questão de saúde pública”, explica o deputado.

De acordo com Eduardo Prado existe uma determinação do presidente Jair Bolsanaro (PSL) visando o tratamento dos usuários de drogas em todo o país. O parlamentar fez questão de lembrar que é Goiás temos os Centros de Reabilitação de Dependentes Químicos (Credeq) que auxilia no tratamento dos usuários de drogas.

“Essas pessoas quando estão no tratamento da dependência química, elas são discriminadas, estereotipadas e muitas vezes não conseguem o trabalho devido ao preconceito. E vale lembrar que o trabalho dignifica o homem, e pode tirar o dependente químico do vício”, salienta o parlamentar.

Parlamentar busca com proposta dar uma oportunidade para que o dependente químico possa sair de vez do mundo das drogas

De acordo com Eduardo Prado, a proposta apresentada busca dar uma oportunidade para que o dependente químico que está em tratamento do vício, possa ser inserido novamente no mercado de trabalho.

“Nós queremos com essa proposta incentivar o Estado e empresas privadas a designar uma porcentagem das vagas para esses usuários que estão em tratamentos de seus vícios. Através das vagas disponibilizadas para eles, promover a capacitação deles através de cursos e resgatar essas pessoas, para estimular que elas realmente saiam desse mundo”, conta Eduardo Prado.

Para o deputado estadual a partir do momento que essa política for instituída em Goiás, ela também vai afetar o tráfico de drogas, pois muitas vezes a pessoa sem um trabalho pode ter uma recaída e voltar a fazer o uso dos entorpecentes.

“A regra geral conforme o artigo 4 do projeto de lei, é para que tanto empresas privadas como o Estado destinem 5% das vagas de emprego disponíveis a pessoas em tratamento da dependência química. Caso o número de vagas seja inferior a 20 e superior a seis, destine pelo menos uma vaga ao paciente em tratamento”, explica.

Conforme o delegado nada mais dignifica o ser humano do que um emprego, e a proposta é busca diminuir a discriminação contra usuários de drogas que estão na reabilitação e buscam uma nova oportunidade para recomeçar.

Comentários