Cidades

Testemunha complica secretário 'trapaceiro', em Planaltina de Goiás

Testemunha contou que Cunhadinho usava dinheiro do esquema para abastecer o carro, e o trocava por dinheiro em espécie.

diario da manha
Foto: Reprodução

O delegado Cristiomário Medeiros ouviu três pessoas nesta sexta-feira (12/7) sobre o esquema investigado por ele na “Operação Trapaça”, que terminou com a prisão do Secretário de Transportes de Planaltina de Goiás, José Álvaro Benevides, conhecido como “Cunhadinho”, no Entorno do Distrito Federal (DF). Conforme as testemunhas o secretário tentou impedir que os fiscais da Prefeitura autuassem os responsáveis pelas empresas que estavam descartando lixo em terrenos do município.

Entre as pessoas ouvidas pelo delegado do caso está o vice-prefeito João Gonçalves Neto, que compareceu acompanhado do advogado e optou por ficar calado durante o depoimento.

Secretário pediu à Secretária de Meio Ambiente para ela tentar liberar o caminhão apreendido

Além do vice-prefeito, a Secretária do Meio Ambiente da cidade, Maria do Rosário Dias Rodrigues Freitas, a titular da pasta informou ao delegado que Cunhadinho tentou impedir a fiscalização das empresas responsáveis pelo despejo do entulho e lixo e ainda pediu a ela que tentasse liberar o caminhão apreendido.

Outra testemunha do caso contou à polícia que o dinheiro obtido pelo secretário através do esquema, era usado para abastecer o veículo particular de Cunhadinho em um posto de gasolina e que o titular da pasta ainda trocava a verba por dinheiro em espécie.

Conforme as investigações apontaram o secretário era o líder do esquema. A operação foi deflagrada na última terça-feira (9) e terminou com a prisão de Cunhadinho. O secretário foi encaminhado para a delegacia do município, onde segue preso pelo crimes de poluição qualificada, corrupção passiva, associação criminosa e fraude processual.

Comentários

Mais de Cidades

29 de julho de 2019 as 16:33

Nota de Falecimento

15 de maio de 2019 as 15:55

16°CRPM EM AÇÃO

15 de maio de 2019 as 15:53

CPC EM AÇÃO