Cidades

Helicóptero que caiu no Lago das Brisas e matou três pessoas, realizou manobras arriscadas horas antes

diario da manha
Foto: Reprodução/Facebook

O helicóptero que caiu na noite de sábado (24/8) no Lago das Brisas, em Buriti Alegre, no sul do estado, realizou manobras arriscadas horas antes, no mesmo local. A informação foi confirmada pela Polícia Civil de Goiás (PCGO). Imagens que estão circulando nas redes sociais, mostram a aeronave em dois momentos, dando rasantes e sobrevoando bem perto da água. Veja no vídeo abaixo:

Reprodução: Youtube

Segundo a Polícia Civil, ainda não se tem confirmação se quem pilotava o helicóptero na hora dessas manobras arriscadas era o piloto Ricardo Magalhães Barros. Ele e outras duas pessoas morreram na tragédia. A advogada Mickaelly Damasceno e a servidora pública Miriam Carolina Fontana.

A quarta passageira e única sobrevivente do acidente, Rhayza Fortunato Pereira Rodrigues, confirmou que foi arremessada antes do helicóptero cair na água, se segurar em galhos de árvores próximos ao local do acidente, nadar e pedir ajuda.

A mulher foi resgatada por uma pessoa que estava de barco perto do local e transportada para um hospital municipal. Rhayza prestou depoimento à polícia sobre o caso no início da tarde de domingo.

De acordo com o delegado responsável pela investigação, Ricardo Chueire, ela disse ainda que eles estavam em uma festa em um condomínio em volta do Lago das Brisas, na qual ela e as três vítimas teriam consumido bebidas alcoólicas durante a tarde.

“Eles saíram do condomínio onde estava tendo a festa, pegaram um barco e foram até onde o helicóptero estava pousado, próximo a um hotel. Eles fizeram o passeio, que durou cerca de 15 minutos e, quando estavam retornando, o helicóptero caiu”, relatou a sobrevivente.

Helicóptero não tinha licença para voar no Lago das Brisas

Segundo informação, por email, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) conta que “a aeronave citada estava em condições regulares de voo”. Conforme o documento, o helicóptero podia realizar voos noturnos, porém não tinha autorização para realizar táxi aéreo.

O delegado disse que o helicóptero não tinha licença para voar naquele local e que as manobras registradas no vídeo são realmente muito arriscadas.

“São manobras proibidas. Não se pode fazer aquilo. E mesmo tendo licença para voar à noite, não poderia voar naquele local, não poderia ter sequer decolado naquela região. É um local improvisado para decolagem e pouso e não tem VFR noturno”, afirmou Ricardo.

*Com informações do G1

Comentários

Mais de Cidades

29 de julho de 2019 as 16:33

Nota de Falecimento

15 de maio de 2019 as 15:55

16°CRPM EM AÇÃO

15 de maio de 2019 as 15:53

CPC EM AÇÃO