Cidades

Prepara Trans: Projeto oferece curso para o ENEM

Babado Inaugural: Pessoas trans e travestis são prioridades do curso

diario da manha
Foto: Júlia Moura

Muito se ouve falar dos gays, da sexualização das lésbicas e da marginalização das pessoas trans e travestis, quando pensamos em movimento LGBTQIA+, mas e quando falamos de oportunidades de empregos e vagas de estudos para esse público?

Quantas pessoas trans você conhece em seu vínculo social? Quantas travestis existem na sua área de trabalho? Qual o motivo de toda essa marginalização ou desse desfoque da sociedade?

O Cursinho Popular Prepara Trans é um projeto que surgiu no fim de 2015 em meio a dois grandes momentos que o Brasil passava. O ENUDSG (Encontro Nacional de Diversidade Sexual e de Gênero) e a ocupação das escolas estaduais em Goiás que era contra o projeto de privatização da educação pública, também conhecido como implantação das OS’s.

O projeto segue o princípio político de apoiar as perspectivas das pedagogias feministas, da educação antirracista, da luta contra as violências de classe, além do extensionismo popular. Compreende-se que há uma necessidade de tratar demandas como essas, em sala de aula para que haja uma mudança na consciência da população.

Preconceito é uma palavra desconhecida dentro do Prepara Trans, sendo assim, pessoas cisgênero, ou seja, pessoas que se identificam com o sexo que foram designadas ao nascer de acordo com seus órgãos genitais, também podem fazer parte do corpo de alunos, porém pessoas trans e travestis são as prioridades, por serem um grupo extremamente marginalizados e que sofrem constantemente com a transfobia que os remetem a evasão da educação formal.

Sem viés político, empresarial ou de sindicatos, o Prepara se mantém por meio de doações, venda de produtos, arrecadações online e atividades promovidas pela organização, como festas.

Foto: Babado Inaugural/Júlia Moura

Todo início de semestre, acontece o Babado Inaugural, que é o primeiro encontro dos alunos com os organizadores do projeto, para confirmarem suas matrículas e discutirem temas relevantes, como “Educação Popular”, “História do movimento LGBTQIA+”, “Prepara Trans em tempos de Bolsonaro”, entre outros.

Os eixos de educação se baseiam em: Humanidades, Linguagem, Leitura e Produção textual, Ciências da Natureza, Matemática, Psicologia e Comunicação.

O Prepara Trans funciona como projeto de extensão, tendo aulas na Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás (UFG), na sala 113 das 19h às 21:10, sem distinção de idade para as alunos. As matrículas através dos formulários das redes sociais do Prepara já estão encerradas, mas você pode fazer sua matrícula pessoalmente dentro do horário de aulas.

“Para pessoas trans e travestis as matrículas ficam abertas o ano inteiro, então, elas podem chegar no Prepara Trans a qualquer momento do ano que elas serão acolhidas e inscritas no projeto”, contou Gustava Henrique, educador do eixo de linguagens e da organização do
projeto, desde o início.

Comentários

Mais de Cidades

29 de julho de 2019 as 16:33

Nota de Falecimento

15 de maio de 2019 as 15:55

16°CRPM EM AÇÃO

15 de maio de 2019 as 15:53

CPC EM AÇÃO