Cidades

Suspeitos de latrocínio contra motorista de aplicativo são presos

Pedro Paulo de Carvalho Pais e Anderson Moreira Santos também são suspeitos de homicídio por espancamento, segundo Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO)

diario da manha
Foto: Reprodução

Pedro Paulo de Carvalho Pais e Anderson Moreira Santos foram presos no dia 2 de julho pela Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO). Eles são suspeitos de tentativa de latrocínio contra um motorista de aplicativo, além de roubo de celular e homicídio contra Thiago Carlos de Oliveira. A vítima foi espancada e em seguida teve o corpo carbonizado. Conforme a apuração da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH) os crimes ocorreram na região do Setor Vera Cruz e Residencial Primavera, em Goiânia, entre os dias 27 e 28 de junho, respectivamente.

Pedro Paulo. Foto: Reprodução/PCGO
Anderson. Foto: Reprodução/PCGO

De acordo com as investigações da Polícia Civil na madrugada do dia 27 de junho os suspeitos teriam pedido um serviço de transporte por aplicativo. Durante o trajeto, anunciaram o assalto. Ao sair do carro o motorista foi atingido por dois golpes de faca nas costas, que teriam sido desferidos por Pedro Paulo. O motorista ficou com lesões.

Na noite dessa mesma data, roubaram o celular de Thiago Carlos de Oliveira. Quando voltaram para casa de Anderson, teriam encontrado a vítima dentro da residência. Conforme divulgação, ela teria supostamente invadido o local, que estava aberto, segundo apuração.

A entrada de Thiago no domicilio teria desagradado os suspeitos, por isso o amarraram. Em seguida espancaram o homem até a morte. A ação foi filmada e fotografada pelos suspeitos. Após o óbito, o corpo foi levado por eles até uma obra inacabada, localizada em frente à casa, onde atearam fogo na vítima, encontrada carbonizada.

Os suspeitos foram localizados pela Polícia Militar após o homicídio. O Auto de Prisão em Flagrante (APF) foi lavrado na DIH, conforme a PCGO. Após o APF, a equipe da DIH realizou diversas diligências. Segundo divulgação, a equipe conseguiu reunir “robusto elemento probatório que vincula os autores a todos os crimes mencionados”.

Áudio de Anderson mostra dúvida sobre o que fazer com o corpo

Em um dos áudios divulgados pela Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) Anderson apresenta dúvidas após matar a vítima. Ele não sabe se enterra o corpo em casa ou outro lugar. Em seguida os suspeitos decidem atear fogo.

Já em outra mídia sonora apresentada pela PCGO Pedro Paulo pede à pessoas que os favoreceram para chamar um motorista por aplicativo para que pudessem fugir.

Mais dois indiciados

Conforme divulgação da PCGO, além dos suspeitos, mais dois indivíduos foram indiciados pelo crime de favorecimento pessoal. “O inquérito policial foi remetido ao Poder Judiciário, na última terça-feira, 7, para prosseguimento da persecução penal”, segundo a Polícia Civil.

Foto: Reprodução/PCGO
Foto: Reprodução/PCGO

Comentários