Cidades

Família pede ajuda pra conseguir medicamento para criança com autismo em Aragoiânia

"O meu medo maior como mãe é só por falta do remédio a minha filha vir a óbito", desabafa Érica.

diario da manha

Uma família da cidade de Aragoiânia, interior de Goiânia, usou as redes sociais pra pedir ajuda para Sophia Santos Maia de Oliveira, de apenas 6 anos de idade. A criança que é autista, epiléptica, tem problema bronco-respiratório e precisa de vários medicamentos, entre eles o taloxa-medicamento importado de alto custo, antes oferecido pela Secretaria de Saúde de Goiânia (SMS).

Neuriene Cláudia Santos, avó materna de Sophia, contou que, “o último mês que a Sophia pegou o medicamento foi em novembro, então eu liguei em janeiro para a moça da Secretaria de Saúde e ela veio falar que a Sophia não pegava mais a medicação porque ela tinha sido cortada. Ela não nos comunicou antes, se ela tivesse nos comunicado antes a gente dava um jeito de comprar mas, veio avisar em cima da hora. Quando a gente ligou para ela, a Sophia já não tinha mais medicamento e é difícil de controlar as convulsões dela”, conta

Segundo a mãe de Sophia, Érica Flavia Santos Maia, através da Prefeitura Municipal de Aragoiânia, conseguiu fazer a compra do medicamento mas o prazo para o remédio chegar é de 30 dias, “O meu medo maior como mãe é só por falta do remédio a minha filha vir a óbito porque outros não controla as convulsões dela, porque as convulsões são multifocais”, afirma.

Veja os vídeos em que Érica pede ajuda:

Veja os medicamentos que a criança usa:

  • Urbanil – 10 mg;
  • Keprra – 100mg;
  • Respiridona-1 mg
  • Melatonina – 2,5 mg
  • Atesina – 1,50 mg
  • Carabidiol – 30 mg
  • Taloxa – 600 mg
  • Felbamate – 600 MG – 100 TABLETS
  • Quantidade: 1 CX

Remédios de uso da Sophia.
Foto: Arquivo pessoal.

De acordo com Satilla Emiklezia Santos Maia, irmã de Érica, a família foi ao Ministério Público mas, ainda não tiveram resposta. Érica informou que entrou com processo mas, o advogado desapareceu.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria de Saúde de Goiânia por e-mail, para um posicionamento e aguarda retorno.

Comentários