Cidades

Goiânia registra casos de síndrome “mão-pé-boca” em crianças

A prefeitura municipal fez um alerta com orientações para evitar a disseminação da doença

diario da manha
Foto: Divulgação

Três escolas municipais de Goiânia registraram surtos da síndrome mão-pé-boca entre crianças. A prefeitura municipal fez um alerta com orientações para evitar a disseminação da doença que é uma infecção viral causada pelo Coxsackie.

Segundo a Vigilância Epidemiológica de Goiânia, a doença é benigna, mas altamente contagiosa e causa desconforto. Os principais são lesões na mucosa oral e erupções nas mãos, pés e boca. Também podem ocorrer febre e prostração, irritabilidade, mal-estar, náusea, vômito e diarreia.

A transmissão da síndrome mão-pé-boca ocorre por gotículas contendo como, saliva, muco nasal e fezes. O líquido que sai das erupções na pele também são contagiosos.

Foto: Divulgação/ Secretaria Municipal de Saúde (SMS)

Não existe uma vacina contra a doença, mas existe tratamento e prevenção. As crianças doentes devem ser isoladas e precisam ser acompanhadas por um médico.

Veja as medidas para interromper a transmissão do vírus:
  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão;
  • Atenção maior na higienização das mãos após trocar fraldas e usar o banheiro;
  • Limpar superfícies frequentemente tocadas, como brinquedos;
  • Fazer o descarte adequado de fraldas e itens com fezes da criança;
  • Evitar o compartilhamento de copos e alimentos, além do contato próximo;

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia orienta que as escolas notifiquem os casos e que os pais fiquem atentos aos sintomas dos filhos.

Leia também:

Comentários