Coronavírus

Curva de mortes por covid-19 no Brasil não achatou após 100 dias de infecção

Enquanto a curva brasileira sobe e parece não ter chegado a um pico, a dos outros países deixou o pior da pandemia

diario da manha

O Brasil completa, nesta quinta-feira (25), 121 dias desde o primeiro diagnóstico de covid-19. O país apresenta uma média de 1.044,6 mortes por dia pela doença. Dentro de uma semana o Brasil se tornará o país com maior média de mortes diária, a partir do primeiro diagnóstico confirmado. A pesquisa considera a as 20 territórios com a maior quantidade de casos.

O projeto de pesquisadores da Universidade de Oxford, no Reino Unido, OurWorldInData, disponibiliza estes números e informações de diversos assuntos sobre o mundo.

A apuração da média considera os novos óbitos que aconteceram nos sete dias antes do registro. A conta é importante para diminuir a variação do número, que inclina-se a cair aos fins de semana e subir durante a semana. Desde o primeiro contágio, somente os Estados Unidos tinham uma maior média de mortes, de 1.433,4 por dia.

Apesar de ter uma média maior, os EUA estavam em uma fase diferente do Brasil, visto que o país se encontra quatro meses após o primeiro caso. O país norte-americano tinha deixado o auge de mortalidade para trás e observavam uma intensa queda no número de mortes por dia.

A queda de óbitos começou aproximadamente do centésimo dia após a primeira infecção. Neste período, a média de mortes estava em dois mil por dia. No 130º dia após o primeiro contágio, a mesma média estava em 987,9.

O gráfico a seguir aponta a variação no movimento na curva de novas mortes. Enquanto a curva brasileira sobe e parece não ter chegado a um pico, a dos outros países deixou o pior da pandemia.

Os demais países conseguiram diminuir o número de mortes diário com as medidas de isolamento social. Foi somente com esses números controlados que os governos começaram a reabrir a economia.

*Com informações do Metrópoles

Comentários