Coronavírus

Caiado entrega novas vacinas: goianos com 79 anos devem ser imunizados nesta semana

Gestor anunciou na noite desta quarta-feira que carregamento de vacinas e compra direta do Estado poderá atender novas faixas etárias de forma acelerada

diario da manha

O governador Ronaldo Caiado recebeu ontem à noite parte das vacinas aguardadas na Central de Rede de Frio da Secretaria Estadual de Saúde (SES). Horas antes, ele anunciou a chegada de 53 mil doses da AstraZeneca e 28,8 mil de Coronavac. Líder nacional no debate sobre imunização, Caiado também apresentou projeto de Lei para autorizar acesso ao Fundo Estadual de Saúde de crédito extraordinário de R$ 60 milhões com a finalidade de suportar despesas referentes à aquisição das vacinas contra a covid-19.
Aos jornalistas, no momento em que recebia novas doses de Coronavac, disse: “Vamos agora vacinar até a faixa dos 79 anos de idade”.
O gestor afirmou que a tese que deve prosperar é a “solidariedade”. E também comprar o que consegue pagar: “Vamos respeitar nosso orçamento”.
Criticou os estados que se gabam por ter possibilidades de ‘produzir vacinas’ quando outros sofrem para aguardar imunizantes: “Não pode um estado que tem maior poder aquisitivo discriminar quem deve receber pelo Plano de Imunização. O plano é único, não dá espaço para esperteza. Não podemos criar a ideia de que um prefeito possa ter a prerrogativa de adquirir mais vacinas do que outro”.
Sobre a compra de imunizantes, disse que o objetivo é somar: “Vamos trazer o maior número de vacinas para o Brasil. Esse é o objetivo”.

Uruaçu
Ontem, Caiado anunciou também a abertura do Hospital de Uruaçu. A partir de março a unidade estará apta a receber até 60 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes vitimados de covid-19.
Iporá recepcionará outras dez UTIs, informa. São “10 monitores, 10 ventiladores, 40 bombas de infusão. Estamos abrindo mais leitos no Oeste goiano pela sobrecarga que lá está. São Luís de Montes Belos não deu conta de suportar”.
O governador diz que pretende buscar embaixadas, laboratórios e entidades científicas para comprar vacinas. “Trabalho no sentido de recuperar o tempo perdido. Se essa alternativa foi dada pelo Supremo, vamos atrás dela. Vamos usar todo nosso prestígio internacional, com embaixadas e contatos que temos”, disse.
Mas alertou que as vacinas que chegaram e as que serão adquiridas devem ser usadas sem perseguição: “Sem o gesto egoísta de achar que qualquer aquisição será feita pensando única e exclusivamente em nós. Vocês jamais verão em mim um comportamento semelhante ao do governador do Distrito Federal”.

Comentários