Cotidiano

Coronel Sanches, ex-gestor da AMT, condenado pela Justiça

Contratos firmados com empresa EIT chegaram a R$ 25,5 milhões

diario da manha

Beto Silva

A Justiça de Goiás manteve  condenação de Paulo Afonso Sanches (foto), ex-gestor da  Agência Municipal de Trânsito (AMT). Para a Justiça, ele teria cometido improbidade administrativa por praticar inúmeros atos ilícitos em contratos que assinou com a EIT Empresa Industrial S.A.  “Coronel” Sanchez foi gestor  durante o mandato do ex-prefeito Iris Rezende.

Conforme denúncia do Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), Paulo Sanches firmou oito contratos com a empresa. O ilícito: ele dispensou licitação para contratação emergencial. Trata-se de lesão comum e grave à Lei 8.666, citada na na maioria dos crimes que envolvem improbidade. Não é apenas Sanches que foi condenado. Venício Júnior, que representou a EIT e seus sócios, também foi condenado.

Desta vez, a decisão foi determinada pela 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça (TJGO). O voto do relator foi seguido de forma unânime e manteve a sentença do juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública Municipal, Fabiano  Aragão Fernandes.

Paulo, informa a decisão, terá que pagar multa civil de cinco vezes o valor da remuneração que recebia quando atuava na prefeitura. O relator disse que Sanches e os demais adotaram conduta ilegal e desleal para com “a administração pública”.

Sanches assumiu a gestão da AMT em 2005, onde foram fechados contratos de R$ 25,5 milhões. Ele alegou que os contratos eram necessários e urgentes. Não convenceu ninguém na Justiça. O DM ligou para o celular do condenado para obter sua versão, mas não obteve retorno.

Comentários

Mais de Cotidiano