País investiga o uso de textos estrangeiros nas universidades

diario da manha
Alunos assistem, ao lado da bandeira chinesa, a cerimônia de graduação na Universidade de Fudan, em Xangai (Aly Song/Reuters)

Da France Presse
As autoridades chinesas abriram uma investigação sobre o uso de textos acadêmicos estrangeiros nas universidades, informou ontem um funcionário, depois que o ministro da Educação pediu para erradicar “os valores ocidentais” do meio docente.
O ministro também pediu as universidades de todo o País que preencham um questionário sobre o uso de textos estrangeiros em aula, segundo boletim publicado em seu site. A mensagem foi rapidamente deletada, mas um funcionário confirmou à France Presse que a enquete foi enviada às universidades para analisar que textos estrangeiros são usados, como foram adquiridos e como os professores os usam.
Esta investigação acontece algumas semanas depois que o ministro Yuan Guiren afirmou que não deixaria que os manuais escolares divulgassem valores ocidentais. “As afirmações que forem caluniosas em relação à direção do Partido Comunista Chinês (PCC) e que insultarem o socialismo não devem infiltrar-se nas aulas universitárias”, afirmou falando à agência Xinhua. O ministério da Educação não confirmou a informação.

Comentários