Cotidiano

Prontos para manifestação

diario da manha

Sem previsão de quantos participantes pretendem manifestar em Goiânia, policiamento deixa todos soldados em alerta, no caso de algum confronto 

Welliton Carlos e Thamy Gibson
Está tudo pronto para as manifestações, que ocorrerão hoje na Capital e em algumas cidades do interior goiano. Pelas redes sociais, os organizadores, que são vários, conclamam: os interessados em protestar contra a classe política que apareçam, às 14h, na Praça Tamandaré, em Goiânia.
A Polícia Militar de Goiás informa ao DM que espera uma manifestação mais pacífica do que as que ocorreram recentemente.
Os movimentos organizados de passe livre não divulgaram o protesto em suas mídias sociais. “Todo o efetivo de Goiânia estará mobilizado para a manifestação. O papel principal e objetivo da corporação é de acompanhar de forma pacífica os manifestantes, para garantir a segurança da população, a preservação da ordem e dos patrimônios públicos e privados”, disse um dos militares que estará hoje nas ruas.
Ele disse ainda que a PM agirá conforme à necessidade, não deixando que outras regiões do município fiquem desprotegidas. A manifestação está prevista para acontecer na Praça Tamandaré e não se sabe se de lá seguirá para algum lugar. Nas redes sociais, os grupos sugerem que a manifestação siga para a Praça Cívica. Outras militâncias afirmam que estarão em manifesto desde às 9h30.
O Ministério Público Federal (MPF) também vai acompanhar a realização do evento. Conforme o procurador da República Ailton Benedito, “é imprescindível que todos envolvidos assegurem a “integridade pessoal e patrimonial, a liberdade de reunião, expressão, locomoção, entre outros”. As manifestações no interior também estão marcadas para ocorrer em Rio Verde, Caldas Novas e Catalão. Não existe previsão da quantidade de pessoas que participará do encontro. O delegado Waldir, deputado federal por Goiás, é um dos que tem chamado a população para o encontro. Ele disse ao DM que estará concentrado na região da Praça Tamandaré no período da tarde.
Um dos organizadores, o Movimento Brasil Livre, orienta que muitos dos participantes estarão em um protesto pela primeira vez, logo, devem tomar cuidados, como se proteger do sol, não esconder o rosto (pois, o protesto é pacífico), e procurar sempre Corpo de Bombeiros, polícia e agentes de trânsito, que foram previamente informados da execução do evento.

O que os goianienses esperam da manifestação

“É certo a manifestação. Ela (a presidente Dilma) não está assumindo o que ela prometeu. Ela prometeu uma coisa e, quando acaba, está fazendo outra, aumentando tudo, aumentando gasolina, alimento”
Geraldo Evangelista Lopes, 54, pedreiro

“Eu acho muito certo, se eu pudesse até eu iria. Ela (a presidente Dilma) não está fazendo. Ela só quis ganhar enganando a pobreza por causa do Bolsa Família”
Maria Berenice Conceição da Silva, 56, doméstica

“Não. Se ela foi votada foi porque o povo elegeu, então agora acho que não é necessário mais manifestação. Independente do governo dela, qualquer outro que entrasse e fosse presidente, talvez poderia estar passando a mesma situação”
Estefani Brito, 36, técnica em segurança do trabalho

“Pela política que está acontecendo deve acontecer sim as manifestações. Acho que todo mundo tem o direito de protestar e sendo pacifíco, não tem problema”
Júnior Cardoso, 20, músico

“Eu acho correto, porque depois que ela começou governar só virou bagunça, nada dá certo, ao invés de melhorar só está piorando”
Nilta Gerônimo, 44, doméstica

“As coisas que estão acontecendo no governo dela não dizem respeito só da presidente, não quer dizer que só a presidente se responsabiliza pelas coisas que estão acontecendo. Tem o ministro da fazenda, a questão da economia, um protesto contra a Dilma não resolve”
Cibele Mendes, 20, vendedora

“Se for manifestação sem vandalismo, eu apoio totalmente. Devido algumas corrupções, que estão acontecendo no momento, eu acredtio que a manifestação
nesse momento vai influenciar e muito”
Edson Tiago, 23, estudante

Eu apoio as manifestações pacíficas, agora aquelas pessoas que vão e aproveitam para fazer bagunça, eu não apoio não. Na situação que o País está, qualquer situação, qualquer candidato, seja a Dilma ou outro, o País estaria na mesma condição”
Estefania Lima de Souza, 31, auxiliar de saúde bucal

“Eu não apoio. Eu acho que não é a Dilma que é a culpada, pode ser a Dilma que é culpada. Eu acho que em geral são os vereadores, senadores que são os culpados, não é a Dilma
Marlene Maria, 47, funcionária pública

“Acho sim, tem um grande motivo e tem que fazer a manifestação, porque nós merecemos um governo melhor”
Jicelia Braz dos Santos Silva, 50, doméstica

Comentários

Mais de Cotidiano