Cotidiano

Sintego entrega pedido para MP pressionar realização de concurso

Sindicato de professores pede ao Ministério Público de Goiás para cobrar, do governo estadual, seleção de novos professores e servidores administrativos 

O procurador-geral de Justiça de Goiás, Lauro Machado Nogueira, em reunião com a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (Sintego), informou que uma das ações de sua gestão à frente do Ministério Público de Goiás, previstas para este ano, será criar duas promotorias em Goiânia com atribuição na área da Educação, uma estadual e outra municipal.
A revelação ocorreu após o procurador-geral receber um documento da presidente do Sintego, Bia de Lima, no qual é solicitado apoio do Ministério Público de Goiás (MP-GO) para cobrar do governo estadual a urgente realização de concurso público para professor e servidor administrativo na Secretaria de Educação, Cultura e Esporte e para que a secretaria estadual passe a gerir as verbas constitucionais vinculadas à Educação, hoje centralizadas na Secretaria da Fazenda.
Pelo MP-GO, também participaram da reunião os promotores coordenadores do Centro de Apoio Operacional da Educação, Simone Disconsi de Sá Campos, e do Centro de Apoio Operacional do Patrimônio Público, Érico de Pina Cabral, em substituição ao titular, que está de férias. O Sintego também pediu o apoio do MP para que os promotores de Justiça intercedam para que as prefeituras cumpram a lei do piso salarial dos professores.

CONCURSO
Sobre a questão da realização de concurso para professores, Lauro Nogueira informou que já existe uma ação proposta no Judiciário pela 57ª Promotoria de Justiça, em que se questiona a contratação de professores temporários e pede a realização de concurso para a área. Simone Disconsi solicitou, inclusive, que o Sintego procure o promotor Fernando Krebs, autor da ação, para se inteirar do andamento e se necessário, ajudar na produção de provas.
Com relação à gestão das verbas da Educação, Lauro Nogueira informou que o pedido deverá ser distribuído a uma promotoria da área de patrimônio público para análise e avaliação do modelo adotado pelo governo estadual.

Comentários

Mais de Cotidiano