Cotidiano

Professores de universidades federais do Rio aprovam greve para a próxima semana

Reivindicações dos docentes incluem negociação da data-base e a questão do contingenciamento de verbas para universidades federais

diario da manha

 

A Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói, região metropolitana do Rio, aprovou a adesão dos professores à greve nacional dos docentes, com paralisação a partir do dia 28 deste mês. Por unanimidade, os técnicos administrativos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) também aprovaram indicativo de greve a partir de 29 de maio.

Em assembleia geral de docentes, no Campus do Gragoatá, os professores da UFF decidiram que a única saída para pressionar o governo federal a ampliar os investimentos para educação pública é a adesão à greve nacional.

Vice-presidente do Sindicato dos Professores da UFF, Gustavo Gomes disse que a greve geralmente é a última saída. Segundo ele, por causa dos impasses nas reuniões anteriores com o governo federal essa acabou sendo a solução cabível. Gomes informou que as reivindicações dos docentes são, entre outras, negociação da data-base e a questão do contingenciamento de verbas para universidades federais.

O Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN) debateu, ontem, as pautas dos docentes e discutir a deflagração da greve nacional. A Associação dos Docentes da UFF (Aduff) volta a se reunir em assembleia no próximo dia 1º de junho.

 

TÉCNICOS

Os técnicos administrativos da UFRJ participam, dias 23 e 24 de maio, em Brasília, da plenária nacional da Federação de Sindicato de Trabalhadores Técnico Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra).

Coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da UFRJ (Sintufrj), Francisco de Assis adiantou que a plenária da Fasubra debaterá reivindicações como aprimoramento da carreira dos técnicos administrativos, paridade entre ativos e aposentados e isonomia de direitos.

Comentários

Mais de Cotidiano