Cotidiano

UFG, IFG e IF goiano podem paralisar serviços

Ato de hoje será realizado, às 8h30, no Auditório da Faculdade de Educação e visa debater e votar o indicativo de greve

diario da manha

 

O Sint-Ifesgo irá realizar hoje assembleia geral da categoria. O ato será realizado, às 8h30, no Auditório da Faculdade de Educação e tem como objetivo debater e votar o indicativo de greve para o dia 28 de maio. Estão convocados todos os trabalhadores técnico-administrativos da UFG, IFG e IF Goiano.

A decisão dos trabalhadores de Goiás será encaminhada e analisada, junto com as deliberações dos outros estados, pela plenária nacional da Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra). A plenária acontecerá, em Brasília, nos dias 23 e 24 de maio e decidirá, com base no resultado das assembleias de todo o País, se a greve será deflagrada.

 

Serviços

Caso seja aprovada, a greve irá atingir todas as Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) do País por tempo indeterminado. Uma série de atividades desempenhadas pelos profissionais, como a abertura de processos administrativos, o pagamento dos contratos, a comunicação, o funcionamento da biblioteca, dos laboratórios, da Rádio Universitária, do Hospital das Clínicas, entre outras atividades, poderão ter suas rotinas alteradas. Serão mantidos apenas os procedimentos de urgência e emergência, bem como as questões que causem danos permanentes e irreparáveis às Ifes e à sociedade.

O indicativo de greve foi aprovado no congresso da Fasubra, realizado na primeira semana de maio, e tem sido debatido com os(as) trabalhadores(as) desde o começo do ano, dadas as respostas negativas do governo federal às pautas da categoria. Muitas das pautas são remanescentes do processo de negociação do ano passado, ocasião em que o governo montou uma mesa de negociação, mas não cumpriu ou deu resposta aos itens listados.

Entre as principais pautas da categoria estão o aprimoramento da carreira; turnos contínuos com redução da jornada de trabalho para 30 horas sem redução de salários; concurso público via RJU para as Ifes; democratização e autonomia para as Ifes; e liberação imediata dos recursos orçamentários sem corte das Ifes.

Comentários

Mais de Cotidiano