Ministro Mangabeira Unger destaca força de Goiás e do Centro-Oeste

diario da manha

Em seu discurso, no lançamento do Agenda Goiás, o ministro Roberto Mangabeira Unger destacou o papel de Goiás e do Centro-Oeste em uma importante fase para o País.“Aproximamo-nos de um momento decisivo na história nacional, que é desenvolver um novo modelo de desenvolvimento, que democratize a economia e amplie as oportunidades econômicas do lado da produção e não só do lado do consumo e da demanda”, afirmou, ao apontar Goiás na liderança na organização desse movimento no Centro-Oeste.

Para o ministro, o Centro-Oeste é um terreno privilegiado para a política regional, pois organiza a criatividade e a produção no País. “Aqui no Centro-Oeste há o potencial para executar todas as tarefas que definem a nova estratégia nacional (…), ao combinar a diversificação com a democratização das oportunidades, por exemplo, da organização da agropecuária brasileira”, disse.

No entanto, ele sugeriu como caminhos para ampliar essas conquistas a redução do contraste entre a agricultura empresarial e a familiar. Para ele, é preciso também superar o contraste entre “cidade cheia e campo vazio”, além de promover a industrialização dos produtos agropecuários. E, ainda, aumentar a capacitação dos recursos humanos e melhorar da Educação, num processo “que rompa com a decoreba e o enciclopedismo”, por meio de um ensino analítico.

“Tudo isso pode acontecer no Centro-Oeste brasileiro. E Goiás é o Estado no com melhores condições para liderar esse movimento na região” acrescentou, ao citar as vantagens comparativas existentes no Estado.

O ministro também destacou Goiás como um dos maiores produtores de minérios, e ainda com grande potencial futuro, pois se trata, segundo Mangabeira Unger, de uma riqueza só parcialmente aproveitável e conhecida.

Ele criticou os regimes de concessão e de royalties que beneficiam os monopólios e castigam as regiões produtoras, sugerindo que os Estados se associem com o capital privado, sob regras do mercado, e que, em um momento conveniente, no futuro, vendam sua participação pública.

Elogiou o complexo do setor de Saúde goiano, com uma indústria farmacêutica “que já é forte e pode ser ampliada com inovação tecnológica”. E sugeriu investimentos em cibernética e defesa, para que o Estado dê “exemplo de uma produção mais avançada em relação ao Sudeste”.

O AGENDA GOIÁS

O Agenda Goiás tem como objetivo buscar o desenvolvimento harmonioso com as forças e potencialidades de cada região, reunindo-as para o crescimento geral, para um Goiás mais competitivo.

Os estudos realizados deverão servir de indicadores e consultas para as atuais e futuras administrações, pelos próximos dez anos.

As reuniões serão realizadas em dez regiões do Estado, com debates, palestras e mesas-redondas, com a participação dos segmentos organizados.

Os encontros estão marcados para Aruanã (Região Noroeste), Formosa (Nordeste), Itumbiara (Sul), Catalão (Sudeste), Rio Verde (Sudoeste), Anápolis (Centro Goiano), Porangatu (Norte), Luziânia (Entorno do Distrito Federal) e São Luís de Montes Belos (Oeste).

tags:

Comentários