Holanda detém 200 após quarta noite de violentos protestos contra morte de turista pela polícia

Mitch Henriquez, de Aruba, visitava a família em Haia e foi morto por asfixia depois ser imobilizado pelas forças de segurança

diario da manha

Cerca de 200 pessoas foram presas após a quarta noite de distúrbios em Haia, na Holanda, em protestos contra a morte de um turista caribenho nas mãos da polícia. O chefe da polícia Paul van Musscher afirmou que manifestantes atiraram pedras, fogos de artifício e jogaram gasolina sobre eles.

A violência irrompeu na segunda-feira à noite depois de manifestantes se reunirem em frente à delegacia de polícia para protestar contra a morte do turista Mitch Henriquez, de Aruba, que visitava a sua família em Haia. O homem de 42 anos, pai de três filhos, morreu no hospital no domingo, um dia depois que ele foi imobilizado por por oficiais em um concerto em Zuiderpark.

Henriquez morreu “muito provavelmente devido à falta de oxigênio”, afirmaou Kitty Nooy, representando do Ministério Público, durante uma entrevista coletiva em Haia. “É provável que a falta de oxigênio foi causada pela intervenção da polícia”.

Cinco oficiais da divisão de polícia da cidade foram suspensos das suas funções na quarta-feira depois de ser identificado como suspeitos no caso.

Comentários