Cotidiano

Escadaria que se transformou em ponto turístico é tombada no Rio

Da Agência Brasil

A Escadaria Selarón, importante ponto turístico da região da Lapa, no centro do Rio, foi tombada por interesse histórico nesta quarta-feira (26). O vereador Jefferson Moura (PSOL), autor da proposta de tombamento, disse que a escadaria reformada pelo “cidadão do mundo”, o artista plástico chileno Jorge Selarón, foi um presente para a capital fluminense. 

“A escadaria é um monumento para a cidade. É a afirmação do Rio para todos os brasis. A obra traz um diálogo com a estética da Lapa. Ela tem tudo a ver com o Rio e com a Lapa.”

Com a publicação da Lei 5.297 no Diário Oficial do Município, a Escadaria Jorge Selarón, que liga os bairros da Lapa e Santa Teresa pela Rua Manuel Carneiro, não pode mais ser demolida ou sofrer descaracterização arquitetônica, sendo obrigatória a aprovação do órgão competente do município em eventuais necessidades de intervenção física no espaço tombado.

Moura afirmou que o tombamento do ponto turístico é uma retribuição a todas as contribuições artísticas do chileno que deu nome à escada. “É uma intervenção artística que deve ser preservada. Com o reconhecimento, buscamos homenagear o artista e reconhecer sua obra.”

Segundo o vereador, Jorge Selarón foi o chileno mais carioca que já viveu na cidade. “Ele passou por vários lugares antes de chegar no Rio. Ele escolheu o Rio para viver, seja circulando pela Lapa ou pelos bares tradicionais da cidade. O Selarón é um personagem da cidade do Rio.”

Em janeiro de 2013, o pintor e ceramista Jorge Selarón foi encontrado morto, aos 65 anos, na escadaria que ele transformou em ponto turístico. Autor da lei que eterniza a obra do artista, Jefferson Moura disse que a cidade perdeu um “cara irreverente e criativo”.

A lei foi encaminhada à Procuradoria Geral do Município para análise de constitucionalidade, uma vez que a prefeitura entende que ações de tombamento são exclusivas do Poder Executivo.

Editor Armando Cardoso

tags:

Comentários

Mais de Cotidiano