Cotidiano

Repórter e cinegrafista são mortos durante entrevista nos Estados Unidos

O suspeito ainda atirou contra a entrevistada

diario da manha
Foto: Reprodução

Na manhã desta quarta-feira (26), dois jornalistas de uma TV afiliada à rede norte-americana CBS foram mortos a tiros. Eles faziam uma entrevista ao vivo no estado da Virgínia, nos Estados Unidos. O suspeito seria um ex-empregado da emissora e teria atirado em si mesmo, segundo a CNN. Não há informações sobre o estado de saúde do homem.

A repórter Alison Parker, de 24 anos, e o cinegrafista, Adam Ward, de 27 anos, do canal WDBJ-TV, foram mortos em Bridgewater Plaza, na cidade de Moneta, por volta de 6h45 (no horário local). O suposto assassino, Vester Lee Flanagan, que utiliza na mídia o nome de Bryce Williams, registrou o disparo e postou em sua conta no Twitter, de acordo com a CNN. Segundo a Associated Press, ele teria 41 anos.

A entrevistada, Vicki Gardner, da Câmera de Comércio da região, foi atingida nas costas e passou por cirurgia, de acordo com a CNN. Ainda não havia informações sobre o estado de saúde dela.

Nas últimas imagens gravadas pelo cinegrafista pouco antes de sua morte, é possível ouvir os disparos e ver Alison tentando se esconder dos disparos. A câmera cai, mas ainda foi possível registrar as pernas do atirador. Logo em seguida e fora do campo de imagem, os gritos da repórter ainda eram ouvidos. Acredita-se que o atirador tenha disparado seis ou sete vezes, disse o gerente-geral do WDBJ Jeff Marks, segundo a CNN.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Alison Parker era namorada de Chris Hurst, que é âncora do mesmo canal de TV em que ela trabalhava. Em seu Twitter, o jornalista escreveu que os dois planejavam se casar: “Estávamos juntos há quase nove meses. Foram os melhores nove meses das nossas vidas. Queríamos nos casar. Acabamos de celebrar seu aniversário de 24 anos”. “Ela era a mulher mais radiante que eu já conheci”, disse ele.

O âncora  disse que a namorada trabalhava diariamente com Adam Ward, o cinegrafista que também foi morto no tiroteio. “Eles eram uma equipe. Estou com o coração partido pela noiva dele.” Outro jornalista da emissora disse que Ward planejava deixar o jornalismo e fazer outra coisa. A noiva de Adam, que é produtora na TV, estava assistindo a transmissão e acompanhou o momento da tragédia.

Parker, que era repórter matutina da rede, começou como estagiária. Ela nasceu na Virgínia e passou a maior parte de sua vida na cidade de Martinsville. Kimberly McBroom, a âncora que estava apresentando o jornal durante o ataque ao vivo, disse à CNN que Parker era uma “estrela de rock”. “Você pedia qualquer coisa àquela garota e ela conseguia fazer.”

Os colegas de trabalho ficaram muito chocados com o ocorrido. “É com extrema tristeza que nós informamos que Alison Parker e Adam Ward foram mortos em um ataque nesta manhã”, lamentou no Twitter a rede de TV WDBJ7.

 

 

Comentários

Mais de Cotidiano