Cotidiano

Ousadia é a nova meta, diz novo presidente da EBC

Da Agência Brasil

Posse do novo diretor-presidente da EBC, Américo Martins (Valter Campanato/Agência Brasil)

O ministro Edinho Silva cumprimenta o novo presidente da EBC, Américo MartinsValter Campanato/Agência Brasil

O jornalista Américo Martins tomou posse hoje (2) como novo diretor-presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Em fevereiro deste ano, ele assumiu o cargo de diretor-geral e ocupava a presidência interina da empresa no lugar do ex-diretor-presidente Nelson Breve, nomeado secretário de Imprensa da Presidência da República.

Antes de chegar à EBC, Américo foi superintendente nacional de Jornalismo e Esportes da RedeTV!. Entre 2006 e 2010, foi editor-executivo da BBC de Londres, onde liderou e administrou todos os departamentos que operam no continente sul-americano. Também atuou como diretor da BBC Brasil de 2002 a 2006, quando respondeu por todo o conteúdo publicado pela empresa em português para o Brasil.

Durante a cerimônia de posse, Américo disse que os próximos quatro anos que passará à frente da empresa serão uma dura missão e o maior desafio de sua carreira profissional. “A EBC, neste momento em que já foi levantada e reorganizada, precisa começar a mudar. Acho que a gente precisa de ousadia e algumas mudanças fortes, principalmente de conteúdo”, afirmou.

Para Américo, a empresa precisa brigar por relevância e para ser protagonista da comunicação. “A comunicação pública não pode ficar em um canto, assistindo ao que está acontecendo nesse processo. A gente tem que se unir e trabalhar junto, disputar mercado, disputar corações e mentes e conseguir ter essa relevância e esse protagonismo.”

Já o ex-diretor-presidente da EBC Nelson Breve defendeu o tripé gestão profissional, cultura organizacional e carreira atraente como fator importante para que a empresa consiga se consolidar.

O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Edinho Silva, por sua vez, disse que, para que a EBC possa cumprir o seu papel e a sua missão junto à sociedade, a jornada será longa e os desafios, grandes. “Não queremos que esses instrumentos de comunicação reproduzam a comunicação convencional ou comercial. Nosso papel é outro”, salientou.

Ainda durante a cerimônia, a presidenta do Conselho Curador da EBC, Ana Fleck, destacou a necessidade de a empresa investir em um jornalismo inspirador de mudanças sociais e que sirva de estímulo para que cada cidadão tenha acesso às informações necessárias para pensar a realidade brasileira.

“Precisamos gastar nossas energias para tornar os veículos da EBC mais conhecidos pela maioria do público, fazendo chegar o sinal da TV Brasil aonde ele ainda não chega, melhorando o sinal das nossas rádios, enfim, fazendo uma comunicação multimídia realmente atraente e ligada às novidades do mercado audiovisual”, concluiu.

Editor Nádia Franco

tags:

Comentários

Mais de Cotidiano

3 de julho de 2019 as 15:11

Morre Wágner Nasser