Cotidiano

Briga de ciganos

Brigas entre famílias ciganas teria motivado a contratação de dois PMs de Goiânia para execução no Espírito Santo. Um deles morreu

diario da manha

 

No último domingo (4) uma troca de tiros no distrito de Bebedouro, em Linhares (ES) terminou em morte. Pai e filho estavam na porta de casa quando foram surpreendidos por dois homens em uma moto, que desferiam tiros contra eles. O pai morreu na hora. O filho, que também possuía uma arma, trocou tiros com os homens e acabou matando um deles e ferindo o outro. Ele fugiu em seguida.

A motivação do crime, segundo investigação da Polícia Civil do Espírito Santo, teria sido uma briga entre duas famílias ciganas, uma de Linhares e outra de Goiânia. Os dois homens teriam sido contratados para executar o cigano que estava em Linhares, e mais: os pistoleiros contratados são da Polícia Militar (PM). Os PMs autores do crime foram identificados:

Marcelo Vieira, 39, que morreu no local,  e Jorgelino Rodrigues da Silva, 45, que se encontra internado em estado grave.

Para a polícia, os PMs foram contratados, mediante pagamento, para executarem o cigano. As investigações mostram que o crime teve planejamento prévio, já que um dos PMs teria chegado na cidade há cerca de dez dias para acompanhar e estudar a vítima.

O sargento internado, Jorgelino Rodrigues, está sob escolta policial e já foi indiciado por homicídio qualificado. Se condenado, pode pegar até 30 anos de prisão. Segundo a polícia, o filho do cigano morto não é considerado foragido, já que a ação dele foi em legítima defesa.

Corporação

Sobre a participação de policiais goianos no ocorrido, a Polícia Militar de Goiás

 informou que Marcelo Vieira estava afastado por dispensa médica e Jorgelino está de férias. A Corregedoria e Serviço de Inteligência da PM de Goiás também acompanha o caso.

(Com informações do G1 Espírito Santo e da TV Gazeta)

Comentários

Mais de Cotidiano