Cotidiano

Ellen Page confronta Jair Bolsonaro em vídeo para uma série documental

diario da manha
Foto: Divulgação/Facebook

Nesta sexta (11/3) foi divulgada parte do episódio que mostra a conversa entre a atriz norte-americana Ellen Page e o deputado Jair Bolsonaro (PP). O vídeo é parte da série documental Gaycation, produzido pelo canal Viceland.

A ideia da série é percorrer diversas cidades pelo mundo para conhecer a situação da comunidade LGBT. O segundo episódio foi gravado no Rio de Janeiro e a atriz norte-americana quis ouvir e entender a opinião de um político que se posiciona abertamente contra as causas LGBT.

A atriz começa a conversa citando um artigo no qual o deputado carioca defende “tirar” a homossexualidade de criança à base da “porrada”. Bolsonaro responde falando da aparência física de Page e que a assediaria se a visse na rua.

Ele afirma que a responsabilidade do suposto crescimento da quantidade de gays se deve à entrada das mulheres no mercado de trabalho e ao uso de drogas. O deputado diz que acredita nisso, pois “quando era jovem, existiam poucos gays” e que não é um comportamento normal.

Em contrapartida, Ellen Page, que assumiu ser homossexual em 2014, mantém-se com uma postura neutra. “Aí é que está o problema, você acha que não é normal. Você afirma que as pessoas deveriam espancar seus filhos e que você prefere um filho morto a um filho gay”, responde a atriz indicada ao Oscar de melhor atriz pela atuação em “Juno” (2007).

Bolsonaro retruca dizendo que se um filho é violento, tem que dar um corretivo nele,”por que o contrário não vale?”, questiona. O deputado declara que a atriz foge à normalidade, já que ela e a companheira não geram filhos e precisariam de homens heterossexuais para isso. Ele conclui que nenhum dos dois mudará sua orientação sexual por acreditar no que acreditam.

A atriz encerra a conversa declarando que não quer que ninguém que não seja gay vire um. “Quero que gays que estejam sofrendo no armário com desejo de suicídio fiquem bem e amem a si mesmos, mas não quero que pessoas que não sejam gays virem gays, com excessão talvez da Kate Winslet”, brinca.

Confira o vídeo:

Comentários

Mais de Cotidiano