Cotidiano

Noiva que morreu em queda de helicóptero faria surpresa

diario da manha

A noiva que morreu na queda de um helicóptero em São Lourenço da Serra, na Grande São Paulo, na tarde de domingo (4), tinha o sonho de chegar ao seu casamento em grande estilo e fazer uma surpresa aos presentes. Mas o sonho se transformou em tragédia.

De acordo com Carlos Eduardo Batista, responsável pela organização da festa, poucos sabiam sobre os planos da auxiliar de enfermagem de de 32 anos, Rosemeire Nascimento Silva.

O noivo, Udirley Marques Damasceno, de 34 anos, também não estava ciente dos planos de Rosemeire e a aguardava no altar quando soube do acidente. “O noivo não sabia que ela chegaria de helicóptero. Seria uma surpresa para ele e para todas as pessoas da festa. Todas as noivas tem um sonho e o dela era chegar de helicóptero a seu casamento sem que ninguém soubesse”, disse Carlos à imprensa.

A cerimônia e a festa de casamento aconteceriam às 16h no Recanto Beija-Flor, espaço para festas de casamentos na cidade da Grande São Paulo, mesmo horário da queda da aeronave.

Como o atraso da noiva, Carlos entrou em contato com a empresa contratada para o transporte. Depois de buscar mais informações foi avisado sobre o acidente sobre o qual comunicou primeiramente ao pastor e ao noivo e posteriormente aos cerca de 300 convidados. “Ele ficou em estado de choque. Depois, os demais convidados [cerca de 300] souberam e ninguém sabia como agir. Foi uma tragédia”, relatou.

A queda do helicóptero deixou Rosemeire Nascimento Silva, o irmão dela Silvano Nascimento da Silva, a fotógrafa do casamento Nayla Cristina Neves Lousada, que estava grávida, e o piloto Peterson Pinheiro, mortos.

Aeronáutica investiga queda de helicóptero que matou quatro pessoas em SP

helicoptero
Da Agência Brasil

Peritos do 4º Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos passaram a manhã de hoje (5) em busca de indícios que possam esclarecer o motivo da queda do helicóptero que provocou a morte de quatro pessoas no fim da tarde de ontem (4), na Estrada da Barrinha, em São Lourenço da Serra, na Grande São Paulo, a cerca de 60 quilômetros da capital paulista.

Morreram no acidente, além do piloto, um homem e duas mulheres, entre elas Rosemeire Nascimento Silva, que estava vestida de noiva e seguia para seu casamento em um sítio daquela região. Ela e o irmão, Silvano Nascimento Silva, que também estava no voo, serão sepultados no fim da tarde de hoje (5), no cemitério Parque dos Ipês, em Taboão da Serra.

A Secretaria de Segurança Pública informou que todos os corpos foram levados para o Instituto Médico-Legal (IML) Central de São Paulo e já estão liberados. O aparelho caiu em uma área de mata fechada e não pegou fogo, segundo informações do Corpo de Bombeiros, que mobilizou oito viaturas para o local.

De acordo com a Agência de Aviação Civil (Anac), a aeronave estava com o certificado de aeronavegabilidade e a inspeção anual de manutenção em dia. Conforme o Registro Aeronáutico Brasileiro, a matrícula era PR-TUN. O helicóptero tinha capacidade para transportar até três pessoas.

Comentários

Mais de Cotidiano