Cotidiano

HGG espera realizar 12 cirurgias bariátricas por mês

diario da manha

O Hospital Alberto Rassi (HGG) foi habilitação na manhã desta terça-feira, 7, para a realização do serviço de cirurgia bariátrica através de suporte técnico e financeiro do Ministério da Saúde.

O hospital já fazia esta modalidade de cirurgia, mas agora torna-se a unidade habilitada para realizar o serviço de atenção à obesidade em Goiás.

O processo de habilitação passou por várias fases durante três anos de avaliação e agendamento com o Governo Federal.

O HGG atendeu normas de Vigilância Sanitária e adquiriu equipamentos específicos para atender os pacientes com Índice de Massa Corpórea (IMC) acima de 40, diz a assessoria do hospital.

Participaram da solenidade o senador Wilder Morais, José Cláudio Romero (coordenador executivo do Idetch e diretor-geral do HGG), Deusdeth Vaz (representante da Secretaria de Saúde do Estado de Goiás), Rafael Nakamura (diretor do HGG) e Fernando Machado ( representante do Ministro da Saúde), Sebastião Tejota (conselheiro do TCE), Luciana Curado (representante da Secretaria Municipal de Saúde) e os vereadores Doutora Cristina e Priscilla Tejota.

A expectativa é de que sejam realizadas 12 cirurgias mensais a partir de agora na unidade. Neste ano já foram realizadas 58 cirurgias.

O HGG já conta com o Programa de Controle e Cirurgia de Obesidade (PCCO) desde 1998, mas a expectativa a partir de agora é que o Ministério da Saúde apoie as demandas da área e atue para que seja reduzida a fila de pacientes com necessidade de tratamento e cirurgias.

Durante o evento, a equipe técnica do HGG agradeceu ao empenho do senador Wilder Morais, que articulou junto ao Ministério da Saúde os recursos e a habilitação, além de Fernando Machado, que representou o ministro Ricardo Barros na solenidade.

INSTITUTO DIABÉTICO

Durante a habilitação, o senador Wilder adiantou que aguarda para breve a liberação de R$ 6 milhões do Ministério da Saúde tento em vista a criação de um instituto para tratamento de diabéticos na Capital.

Wilder lembrou que a demanda do instituto surgiu na Câmara Municipal de Goiânia e que espera retornar em breve para anunciar o novo aporte de recursos, que deve ser direcionado também para o HGG.

Rafael Nakamura, diretor do Hospital Alberto Rassi, lembrou que a unidade tem experiência e está capacitada para dobrar o número de procedimentos, que será oferecido nas unidades básicas de saúde.

Para que a população tenha acesso será preciso procurar as unidades de saúde do município e após consulta com um especialista verificar se encaixa no perfil dos pacientes que necessitam de cirurgia.

Existe uma fila com 487 pessoas que necessitam do atendimento. A unidade atende no momento 1.100 pessoas em fases anterior e pós-cirurgia bariátrica.  O PCCO disponibiliza cerca de 800 consultas ao mês. A habilitação vai intensificar esta espécie de tratamento.

Durante a preparação e pós-operatório, o paciente tem contato com uma equipe multiprofissional, caso de médicos (cardiologistas, cirurgiões, endocrinologistas, pneumologistas, psiquiatras, etc), fonoaudiólogos, assistentes sociais, fisioterapeutas, enfermeiros, psicólogos e nutricionistas.

 

 

Comentários

Mais de Cotidiano