Cotidiano

Credeq passa a internar somente adultos

diario da manha
Sede do Centro Estadual de Referência e Excelência em Dependência Química de Aparecida de Goiânia (Credeq)

Pacientes com esse perfil passaram a receber apenas o tratamento ambulatorial. Público masculino adulto tem 80% da procura por leitos na unidade

Após a divulgação dos dados que mostraram que a unidade de saú­de não tem atingido as metas esta­belecidas pelo contrato de gestão, o Centro Estadual de Referência e Ex­celência em Dependência Química de Aparecida de Goiânia (Credeq) mudou o tipo de atendimento, ago­ra, a unidade passa a receber ape­nas adultos. O atendimento para infantojuvenil continuará mas ape­nas no tratamento ambulatorial, jo­vens não mais terão leitos reserva­dos devido a baixa procura.

A alteração no perfil está va­lendo desde o último dia 1º de de­zembro e se deve a baixa deman­da de casos infantojuvenis. Por outro lado, o acompanhamento monitorado pelo Credeq – Prof. Jamil Issy revelou que a maior procura é pelo público mascu­lino adulto. O diretor técnico da unidade de saúde, o psiquiatra Tiago Oliveira, adianta que o pú­blico continuará sendo acolhido, tratado e acompanhado pela es­trutura Credeq, mas no ambien­te ambulatorial, onde os profissio­nais e a estrutura logísticas estão adaptadas às suas peculiaridades.

O Credeq tem encontrado difi­culdades em fazer com que os pa­cientes agendados para os aten­dimentos. O diretor-técnico da unidade, Tiago Batista, revelou que o Credeq chegou a ter 50% de pa­cientes que não compareceram a primeira consulta. Para sanar essa dificuldade, a unidade chegou a contratar um ônibus para fazer a locomoção dos pacientes saindo do terminal Araguaia até a unidade de saúde. Caso as unidades de saú­de não alcance as metas estabeleci­das, pode haver desconto no repas­se da verba pela secretaria.

A unidade do Credeq conta com 96 vagas, sendo que, 93 dessas va­gas estão preenchidas. O princi­pal perfil das vagas preenchidas é de homens adultos, somando 80, das 93 vagas ocupadas pela unida­de. A assessoria de comunicação da unidade diz que as vagas reser­vadas para o público infantojuve­nil eram de 36 leitos. Essas vagas, muitas vezes não eram preenchi­das, represando assim a deman­da por outros perfis de pacientes, não havia demanda para o público infantojuvenil. Durante o atendi­mento aos público infantojuvenil, o Credeq – Prof. Jamil Issy acolheu e tratou, em âmbito de desintoxica­ção e Unidade de Tratamento Re­sidencial (UTR’s) 57 adolescentes.

 

Comentários

Mais de Cotidiano