Cotidiano

Funcionários do Detran-GO e um despachante são suspeitos de articular fraude na transferência de veículos

diario da manha

Nesta quinta-feira (21/12) a Polícia Civil (PC) de Goiás, através da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (Derfrva), deflagrou a segunda fase da operação Intraneus para desarticular um grupo que burlava as transferências de veículos em Anápolis, interior de Goiás.

A polícia juntamente com o Detran, descobriu que servidores da Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretrand) de Anápolis recebiam propinas para simular vistorias nos veículos.

Cerca de cinco mandados de prisão foram cumpridos, sendo quatro deles contra servidores do Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO) e um despachante suspeito de estar envolvido no esquema de fraude na transferência de automóveis.

Conversas entre os servidores do estado, uma pessoa que pagou a propina para a quadrilha e o despachante que mediava a simulação das vistorias foram divulgadas pela polícia. Porém, existe a suspeita de que mais servidores estejam envolvidos no esquema. Eles prestarão esclarecimentos à polícia nesta sexta-feira (22/12).

Segundo o delegado responsável pelo caso, Gustavo Rigo, as investigações começaram há quatro meses e acredita-se que o esquema acontece há cerca de cinco anos.

Ainda segundo o delegado, os servidores da Ciretran de Anápolis recebiam propina para fazer transferência de veículos mediante simulação de vistoria. Posteriormente, os funcionários lançavam no sistema do Detran que os veículos envolvidos no esquema haviam passado por vistoria nos municípios de São Miguel do Araguaia e Mundo Novo, sem que a vistoria propriamente dita tenha ocorrido.

De acordo com o delegado, as fraudes alimentavam um de roubo de veículos. “Com esse esquema, era possível fazer a transferência de veículos adulterados. E, grande parte desses veículos são frutos de roubo”.

Foto/Divulgação PC

tags:

Comentários

Mais de Cotidiano