Cotidiano

Irmã de homem morto em incêndio afirma que ele pode ter assassinado filha de 9 anos

diario da manha

Hipóteses começam a ser levantadas um dia após a morte de Carlos Alves Pereira de Calvares, de 48 anos e a filha dele, Ana Júlia Monte de Calvares, de 9 anos, em um incêndio em uma casa no setor Parque Oeste Industrial, nesta quarta-feira (27/12), em Goiânia. A irmã do homem, Odaisa Pereira Gomes de Sousa, de 53 anos, afirma que o pai pode ter matado a garota, no entanto, sem intenção criminosa.

De acordo com ela, a mente de uma pessoa pode transformar-se em bagunça devido aos aborrecimentos e problemas diários.
A criança foi encontrada com um ferimento na cabeça. No local do crime, a parte de madeira de um martelo foi visto em cima da cama, já a parte de metal teria sido achada no chão do quarto. Os corpos, porém, foram localizados no banheiro. No objeto foram identificadas manchas de sangue.

Segundo o tenente do Corpo de Bombeiros que atendeu à ocorrência, Danivaldo José Pereira, há indícios de que o incêndio tenha sido criminoso já que foram encontrados vários focos pelo quarto, sala e cozinha. Ele informou ainda que normalmente o foco tem início em uma parte e vai se espalhando por completo. Neste caso, porém, não há ligação dos focos com os cômodos da casa.

Polícia Civil 

Por meio de nota, a Polícia Civil se pronunciou e informou que o caso já está sendo investigado pela Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), sob a responsabilidade do delegado Douglas Pedrosa. Testemunhas como uma das filhas de Carlos, bem como alguns vizinhos já foram ouvidos. Nos próximos dias, novas pessoas prestarão depoimento.

Além disso, a polícia afirma ter encontrado “mensagens que apontam para um quadro depressivo de Carlos, supostamente por conta de recente fim de relacionamento conjugal”. A nota esclarece ainda que até o momento os agentes não confirmam quaisquer informações conclusivas com relação à cena das mortes.

“O delegado informa que aguarda os laudos de necropsia e do local de morte violenta para só então finalizar o inquérito e se pronunciar a respeito das investigações”, conclui o texto.

Confira íntegra da nota: 

A Polícia Civil de Goiás informa que o caso das mortes da menina Ana Júlia Monte de Calvares e do pai dela, Carlos Alves pereira de Calvares, ocorridas na manhã de quarta-feira (27), em incêndio na Rua do Ferro, Setor Parque Oeste Industrial, em Goiânia, está sendo investigado pela Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH). O delegado responsável pelo inquérito será, titular da especializada, que substitui as férias do delegado responsável pela AISP – Área Integrada de Segurança Pública. Pedrosa afirma que uma das filhas de Carlos, assim como vizinhos dele, foram ouvidos ontem, ainda no local do incêndio, e que mais testemunhas devem ser ouvidas nos próximos dias. A polícia teve acesso a mensagens que apontam para um quadro depressivo de Carlos, supostamente por conta de recente fim de relacionamento conjugal, mas pondera no sentido de confirmar quaisquer informações conclusivas a respeito da cena das mortes. O delegado informa que aguarda os laudos de necropsia e do local de morte violenta para só então finalizar o inquérito e se pronunciar a respeito das investigações.

Foto: Reprodução/ TV Anhanguera

LEIA MAIS: Incêndio em casa de Goiânia mata pai e filha 

Comentários

Mais de Cotidiano