Cotidiano

Professora é internada depois de ingerir água misturada com perfume por aluno

diario da manha

A professora da Escola Estadual Santa Elvira, em Juscimeira, Mato Grosso, Maria Célia de Oliveira Schoenherr, de 47 anos, foi internada no dia 5 de dezembro após beber água com perfume. Um aluno do 1° ano do Ensino Médio teria colocado a substância na garrafa dela minutos depois de ter sido chamado a atenção por borrifar o produto em sala de aula.

Depois de receber alta no dia 6 de dezembro, ela foi internada novamente na última segunda-feira (11/12), no hospital municipal da cidade por não apresentar melhora. Maria ainda sente alguns sintomas como dores de cabeças, vômitos e náuseas. A docente será transferida para uma unidade de Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, onde passará por exame de endoscopia.

Caso 

“Um aluno estava borrifando perfume na sala de aula e, como o cheiro estava muito forte, ela chamou a atenção dele e junto com alguns alunos saiu da sala até que a situação fosse amenizada, porque ela tem alergia a perfume e sente muitas dores de cabeça”, disse o marido Adriano Schoenherr ao G1/MT.

Logo após, a direção da escola chamou a professora de português e de língua estrangeira que trabalha no local há 16 anos para premiar a melhor redação do ano do colégio. Ao voltar, ela reuniu os materiais juntamente com a garrafa d’água e foi para outra sala onde ministraria outra aula.

Após beber um gole, a professora sentiu que água estava com perfume. Ela ainda tentou cuspir, porém já havia ingerido um pouco do produto.

“Ela já começou a se sentir mal e, mesmo assim, terminou de dar aula. Chegou em casa passando mal e insisti que fossemos ao médico, mas ela só aceitou no dia seguinte, pois havia passado mal a noite toda. Fomos ao posto de saúde e não tinha médico, daí seguimos para o hospital de Juscimeira”, contou Adriano.

Ainda segundo ele, a suspeita é de que ela esteja intoxicada, no entanto, os médicos esperam os resultados dos exames para a confirmação.

O caso foi registrado por Maria Célia na Polícia Civil como lesão corporal. De acordo com a corporação, haverá investigação do ocorrido e o estudante suspeito será ouvido com acompanhamento do Conselho Tutelar.

Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) disse que está acompanhando o caso. Além disso, encaminhou um assessor pedagógico à unidade escolar. “A atual gestão está trabalhando para promover a cultura de paz dentro da escola, por meio do Programa Anjos da Escola”, diz trecho.

Comentários

Mais de Cotidiano