Cotidiano

Trabalhadores protestam nas ruas

diario da manha
Washington Fraga

Trabalhadores da cidade e do campo saíram, ontem, às ruas de Goiânia, para protestar contra o envio da pro­posta de Reforma da Previdência Social pelo presidente da Repú­blica, Michel Temer [PMDB]. Na­cional, a manifestação, que ocor­reu em 27 unidades da federação, foi convocada pela Central Única dos Trabalhadores, a CUT, a Cen­tral dos Trabalhadores e Traba­lhadoras do Brasil, CTB, Central Sindical Popular, CSP Conlutas, Intersindical e até a Força Sindical, que é aliada do Palácio do Planalto e controlada pelo deputado fede­ral Paulo Pereira [SD-SP].

Contra a retirada de direitos históricos!

As centrais sindicais condenam o aumento do tempo mínimo de contribuição ao INSS para a ob­tenção do benefício. O aumento da idade mínima para mulheres e homens aposentarem-se. Levan­tamento realizado aponta que nas regiões Norte e Nordeste do Brasil a expectativa média de vida pode não atingir a idade necessária para aposentadoria. Michel Temer cos­tura, hoje, a sua aprovação ainda em dezembro. O ministro da Fa­zenda, Henrique Meirelles [PSD], denuncia suposto rombo na Pre­vidência Social.

Mudanças prejudicam tra­balhadores.

FORA TEMER!

O presidente da CUT Esta­dual é Mauro Rubem de Mene­zes, odontólogo, ex-deputado estadual e filiado ao PT. Quem preside a CTB [GO] é Railton Nascimento, professor de Filo­sofia e dirigente do Sindicato dos Professores da Rede Particular de Ensino, ligado ao PCdoB. Ja­van Rodrigues, ex-operário da Celg, é membro da CSP – Con­lutas, dirigente regional do ra­dical e barulhento PSTU. Assim como Washington Fraga, diretor do Stiueg [Sindicato dos Traba­lhadores das Indústrias Urbani­tárias do Estado de Goiás], que possui vínculos com o PSol [GO].

Mauro Rubem
Javan Rodrigues(fotos:divulgação)
Sindicalistas nas ruas, em Goiânia. A deputada estadual Isaura Lemos [PCdoB] entre eles
Railton Nascimento

 Motorista de ônibus tenta atropelar manifestantes

 

 Ana Paula Barreira

Imagens mostram o momento em que o motorista acelerou contra os manifestantes(REPRODUÇÃO/FACEBOOK)

Durante a manifestação contra a Reforma da Orevidência, um mo­torista do Eixo Anhanguera furou o bloqueio do trânsito e avançou em alta velocidade contra os manifes­tantes. Ato aconteceu ontem (5), na Praça do Bandeirante, Centro de Goiânia, e foi promovido pelo Fórum Goiano contra a aprovação das Reformas da Previdência e Tra­balhista.

Segundo relatos do presidente da Central Única dos Trabalhado­res no Estado de Goiás (CUT-GO), Mauro Rubem, o protesto tinha a participação de cerca de 500 pes­soas. Com a Avenida Tocantins bloqueada por cinco minutos, o motorista atravessou o bloqueio e ignorou as 30 pessoas que estavam à sua frente. “Ele deu uma arrancada e seguiu viagem. Os outros motoris­tas aguardavam a gente passar. Este teve uma atitude completamente ir­responsável”, explica.

Segundo Mauro, dois manifes­tantes ficaram feridos, um militante do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e um estudante, mas nenhum está em estado grave. O presidente da CUT foi até a dele­gacia registrar um boletim de ocor­rência contra atentado de pessoas e direção perigosa, além de identi­ficar o motorista para que ele pos­sa ser punido. “Foi um risco para todos os manifestantes, fico preo­cupado, pois nosso protesto é para defender a aposentadoria, o futuro dos trabalhadores, de todos nós. Ele tem que ser afastado, não tem capa­cidade para ser motorista”, lamenta.

A RedeMob Consórcio, respon­sável pela linha do Eixo Anhangue­ra, disse, em nota ao Diário da Ma­nhã, que o caso está sendo apurado. Caso haja comprovação de má con­duta do motorista, a empresa toma­rá as medidas cabíveis para que tais fatos não voltem a ocorrer. A empre­sa disse, ainda, que não apoia ne­nhuma atitude que coloque em ris­co a integridade das pessoas.

 

Comentários

Mais de Cotidiano