Cotidiano

‘BolsoCoin’ é utilizada em troca de crimes virtuais 

diario da manha

A nova Bitcoin (moeda virtual) está dando o que falar! Chamada de BolsoCoin, fazendo referência ao deputado federal e pré-candidato à presidência, Jair Bolsonaro (recém-filiado ao PSL-RJ). Segundo o anúncio da criptomoeda, a novidade é a primeira “da direita alternativa e neonazista do Brasil”.

“O nome vem de Jair Bolsonaro, político brasileiro similar a [DonaldTrump”, descrevem os idealizadores.

BolsoCoin é uma das diversas criptomoedas existentes atualmente, sendo um tipo de dinheiro virtual que usa a criptografia com a finalidade de obter mais segurança em transações financeiras na internet. Investimentos também são feitos na moeda em questão. A transferência de valores é realizada de uma pessoa a outra ou em casas de câmbio, sem que haja interferência de bancos.

Ao contrário das vantagens que a Bitcoin pode oferecer, a BolsoCoin pode ter sido criada para fins ilegais.

Conforme o anúncio da moeda, ela está sendo bastante utilizada em fóruns anônimos como método de pagamento para usuários que realizam doxxing (descoberta e divulgação de dados pessoais, o que contribui para crimes como chantagem) e swatting (passar trotes a serviços de emergência. Neste caso, as forças de segurança mandam equipes de atendimento para ocorrências que não existem na casa de pessoas que não acionaram o serviço e ficam em uma situação de constrangimento).

Criador 
O criador da moeda possui pseudônimo de ‘psyc10n’ e foi identificado como Marcelo Mello. Com formação em ciência da computação e ex-estudante de letras na Universidade de Brasília (UnB), ele já se envolveu em diversas polêmicas.

No ano de 2005, foi processado por ofender negros na extinta rede social Orkut. Já em 2012, foi detido durante ação da Polícia Federal, na Operação Intolerância, por criar um blog em que inferiorizava homossexuais e mulheres.

Em 2013, foi condenado a 6 anos e 7 meses em regime semi-aberto e cumpriu somente um ano da pena.

Comentários

Mais de Cotidiano