Cotidiano

Governo esclarece que visita de Carmém Lúcia ao Complexo Prisional não foi agendada

diario da manha

Por meio de nota, o Governo de Goiás esclareceu nesta segunda-feira (08/01) que a visita da ministra Carmem Lúcia ao Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia prevista para a tarde de hoje não foi agendada por parte do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O texto rebate a informação de que ela havia desistido de vistoriar a unidade por falta de segurança.

“A ministra não veio a Goiás para vistoriar presídios, mas para discutir medidas e estratégias para o sistema penitenciário local e nacional”, diz trecho.

O governador Marconi Perillo disse em entrevista depois da reunião com Carmém Lúcia que as condições de segurança estariam garantidas pela segurança do estado caso ela considerasse necessário ir ao presídio.

Confira nota na íntegra:

A respeito da informação de que a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, desistiu de visitar o sistema do Semiaberto da Colônia Agrícola de Aparecida de Goiânia nesta segunda-feira, o Governo de Goiás vem informar que:

-Não houve, em momento algum, por parte do Supremo ou do CNJ, solicitação de agendamento de visita ao complexo, nem antes e nem durante a vinda da ministra a Goiás, na manhã desta segunda-feira, 8 de janeiro.

-A ministra não veio a Goiás para vistoriar presídios, mas para discutir medidas e estratégias para o sistema penitenciário local e nacional.

-Em entrevista coletiva após a reunião, o governador Marconi Perillo afirmou quando consultado sobre a possibilidade da visita, que, caso a ministra considerasse necessário ir ao complexo, as condições para a vistoria estavam asseguradas pelas forças de segurança do Estado.

Comentários

Mais de Cotidiano