Cotidiano

Fiscal do Inmetro impedia envio de relatório informando fraudes, afirma PF

diario da manha

Nesta terça-feira (06/02), a Polícia Federal (PF) constatou que, diante das investigações, o superintendente do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) em Goiás, André Abrão, impedia que documentos que comprovavam fraudes em postos de combustíveis fossem enviados à corporação, dificultando assim, as investigações da Operação Fiel da Balança.

De acordo com informações da PF, fiscais do Inmetro recebiam propina de donos de postos para ocultar a adulteração na venda de combustíveis. Em nota ao Diário da Manhã, o Inmetro pontuou que os fiscais investigados serão afastados de seus cargos e que está apoiando a ação da Polícia Federal dando elementos necessários para que ela conclua a investigação.

Segundo o delegado responsável pela Operação Fiel da Balança, Antônio Santos, uma operação foi deflagrada em outubro do ano passado para investigar fraudes na fiscalização de postos de combustíveis, depois disso, fizemos o requerimento de um relatório sobre esses locais, no entanto o superintendente impediu que esses relatórios fossem encaminhados para a PF. Durante os desdobramentos da operação deflagrada nesta terça-feira, André foi afastado de sua função no Inmetro.

O delegado pontuou ainda que, André Abrão informava sobre o andamento das apurações aos suspeitos.”Ele chegou a informar a um dos fiscais do Inmetro que ele estava sendo investigado pela polícia”, disse. A Operação Fiel da Balança ocorreu em conjunto com a Polícia Civil (PC), cerca de dez de mandados condução coercitiva, três de busca e apreensão e quatro de prisão foram realizados pela operação.

A operação ocorreu em Goiânia, Inhumas, Caturaí, Pires do Rio, Caldas Novas e Aparecida de Goiânia. Os presos foram levados para a Superintendência da PF em Goiás.

Foto/ TV Anhanguera/Reprodução

Comentários