Cotidiano

CGM e PM usam bombas de efeito moral contra professores

diario da manha
Foto/Reprodução/UOL

A Guarda Civil Metropolitana (GCM) e a Polícia Militar de São Paulo usaram bombas de efeito moral contra professores da rede pública que faziam protesto contra um projeto de lei que propõe mudanças na Previdência dos servidores. O ato ocorreu nesta quarta-feira (14/03), na Câmara Municipal, em São Paulo, capital.

Um grupo de professores tentou invadir o prédio e jogaram uma garrafa de água contra o vereador João Jorge (PSDB), o que deu início a confusão. Uma professora foi agredida dentro do Salão Nobre da Câmara conde a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) onde ocorria o debate do projeto.

Segundo testemunhas, um guarda civil que fazia o cordão de isolamento para proteger a mesa dos vereadores foi o autor da agressão. A vítima confirmou o relato e já foi atendida por ambulância que estava na Câmara.

Os manifestantes que estavam do lado de fora, dentre eles, crianças e idosos, usaram uma das barreiras metálicas de proteção para forçar a entrada no edifício e a PM reagiu com ainda mais bombas.

(As informações são do portal UOL)

Comentários

Mais de Cotidiano