Cotidiano

É grave o estado de saúde do bebê resgatado após ser atacado por cachorro, em Goiânia

diario da manha

Diferentemente do que foi noticiado nesta terça-feira (19/06), um bebê de apenas um ano, ficou gravemente ferido após ser atacado por um cachorro da raça Pastor Alemão, na Vila Maria Luiza, em Goiânia. De acordo com as primeiras informações, a raça do cachorro informada foi pitbull, mas após algum tempo, com a melhora na apuração do fato foi constatado que o cachorro que atacou a criança seria de outra raça. Segundo o Corpo de Bombeiros, o bebê apresentou ferimentos no pescoço e no rosto e foi encaminhada, por meio de helicóptero da corporação, para o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol).

A assessoria de imprensa da unidade informou por meio de nota que a menina está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UIT) pediátrica com quadro grave e respira com ajuda de aparelhos. Vizinhos informaram que a criança estava na casa avó quando foi atacada. A aposenta Helenita Carvalho relatou que no momento do incidente, seu esposo Cícero Carvalho, saiu correndo para saber o que estava acontecendo. Em seguida, Cícero relata que ele e outros vizinhos foram até o local para salvar a criança que já estava bastante machucada.

Segundo a assessoria do Corpo de Bombeiros, a menina foi conduzida, em primeiro momento, para o Centro de Assistência Integral à Saúde (Cais) do Jardim Novo Mundo. Ao ser avaliada pelos médicos da unidade de saúde, foi constatado que seu estado era muito grave  e precisavam transferi-lá para o Hugol. Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) conduziu a criança até a praça do setor, onde um helicóptero dos bombeiros pousou e a transportou.

Segundo um enfermeiro que acompanhou o caso, a menina chegou com um ferimento no pescoço do lado esquerdo e com a marca de varias mordidas no rosto. Segundo o Corpo de Bombeiros, o atendimento médico foi fundamental para que a sobrevivência do bebê fosse garantida, uma vez que, ela já havia perdido muito sangue e existia a suspeita de aspiração de sangue pelo pulmão.

(Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

 

tags:

Comentários

Mais de Cotidiano