Cotidiano

Hoje é dia deles e de solidariedade na Festa do Divino

diario da manha
De Orizona, Mateus Soares andou mais de 200 quilômetros para estar na Festa de Trindade. Ele disse que é a quinta vez que participa das celebrações(FOTO:CARLOS PEREIRA)

A Festa de Trindade en­tra nesta quinta-feira no seu sétimo dia e caminha para uma maior aglomeração de fiéis como ocorre todo ano. Nos últimos dias da festa que termi­na no domingo, uma multidão de romeiros vindo a pé, de bicicleta, a cavalo, de carro de boi e por di­versos outros meios, oriundos de todos os cantos do País, chega a Trindade para um encontro de fé com o Divino Pai Eterno.

Hoje, a partir das 9 horas da ma­nhã, acontece também um dos momentos mais bonitos da Fes­ta de Trindade, o desfile dos car­ros de boi. A tradição, tão esperada pelos devotos, foi até incrementa­da com a construção do carreiró­dromo, que vem sendo constante­mente remodelado para dar mais conforto tanto para quem acom­panha o desfile como para os car­reiros que levam o seu carro de boi para a avenida. A expectativa é que cerca de 350 carros de boi partici­pem do desfile na Romaria do Di­vino Pai Eterno de 2018.

Desde terça-feira os carrei­ros vêm tomando conta da cida­de. Após longas viagens em seus carros de boi, os romeiros carrei­ros vindo de vários municípios de Goiás têm seu momento especial na Festa de Trindade: o desfile de carros de boi. Muitos carreiros per­correm, em comitiva, longos cami­nhos para chegar à Capital da Fé. Este é o caso de dona Luciana Al­ves da Silva, que veio em comitiva de Abadiânia (GO) para Trindade. Mesmo após 7 dias de viagem em carros de boi, sob sol quente, ela abre um largo sorriso para falar da sua chegada à cidade.

“Estou feliz porque chegamos bem para agradecer o Divino Pai Eterno. Veio eu, meu marido e ou­tros parentes e amigos. Foram 7 dias de viagem. Este é o 8º ano que a gente vem. A gente caminha, dor­me, acampa, faz comida, conversa. É o nosso encontro com Deus, com o Divino Pai Eterno. É uma alegria muito grande pra gente. Agradecer o pai pelas graças recebidas. Con­seguir chegar aqui é uma graça muito grande”, diz a romeira com um largo sorriso no rosto.

Outro carreiro, mais jovem, Ma­teus Soares, de 19 anos, veio de Ori­zona (GO), 265 km até a Capital da Fé. Após 14 dias de viagem tocando um carro de boi na comitiva tam­bém mostra tranquilidade na che­gada à Praça da Matriz. Diz que é a quinta vez que participa da Roma­ria do Divino Pai Eterno. E afirma, ao chegar em frente ao Santuário Basílica, após receber a benção dos carreiros, que veio pra rezar mas também se divertir na festa.

“É muito bom esta festa aqui. Trabalho na roça com meu pai. Foram 14 dias de viagem muito proveitosa. É muita fé que a gen­te vê. Esta viagem para Trindade é como umas férias pra mim. A gen­te vem pra cá, reza mas também se diverte muito. É muito boa esta Romaria do Divino Pai Eterno. É a melhor do Brasil. Tô animado pro desfile de carros de boi no carrei­ródromo”, conclui o carreiro, com um sorriso no rosto, depois da lon­ga viagem até a Capital da Fé.

SOLIDARIEDADE

Esta quinta-feira também é de­dicada à solidariedade, ao traba­lho social dos redentoristas que possuem 5 centros sociais, 4 em Trindade e um em Goiânia, este destinado aos idosos. Os outros a crianças e adolescentes e famílias de baixa renda. Os centros desen­volvem várias atividades lúdicas, de esporte, lazer e profissionais, e são mantidos com doações dos devotos do Divino Pai Eterno.

Além da Romaria da Solidarie­dade, uma caminhada de Goiâ­nia a Trindade realizada na ma­drugada desta quinta-feira na Rodovia dos Romeiros, estão pro­gramadas diversas outras ativida­des, entre elas uma celebração às 17h30 no Santuário Basílica do Di­vino Pai Eterno da missa da so­lidariedade e estandes que fo­ram montados na festa para que os romeiros interessados pudes­sem conhecer e contribuir com as obras sociais redentoristas.

 

Estou feliz porque chegamos bem para agradecer o Divino Pai Eterno. Veio eu, meu marido e outros parentes e amigos. Foram 7 dias de viagem. Este é o 8º ano que a gente vem. A gente caminha, dorme, acampa, faz comida, conversa. É o nosso encontro com Deus, com o Divino Pai Eterno”

Luciana Alves da Silva, romeira

 

 

PROGRAMAÇÃO DIÁRIA

 

5h – Alvorada festiva na Matriz e no Santuário Basílica

5h30 – Procissão da Penitência da Matriz ao Santuário Basílica

Matriz

Missas: 7h, 11h, 16h e 18h30

Oração do Terço: 13h

Novenas: 9h e 14h

Santuário Basílica

Missas: 6h, 7h, 10h, 12h, 17h30 e 22h

Oração do Terço: 14h e 19h

Novenas: 8h30 e 15h

Novena Solene: 20h

Confissões

Todos os dias, no Santuário Basílica e na Matriz, das 6h às 21h

Batizados

Todos os dias, no Salão Paroquial da Igreja Matriz, às 10h

PROGRAMAÇÃO ESPECIAL

Dia 28 de junho – Quinta-feira

5h – Saída da 5ª Romaria da Solidariedade – Trevo de Goiânia

9h – Romaria dos Carros de Boi com bênção para os Carreiros – Praça da Matriz

17h30 – Missa das Obras Sociais Redentoristas – Santuário Basíl

 


“A gratidão nos trouxe até aqui”, afirma muladeiro

 

REPRODUÇÃO AFIPE

Quem esteve no Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, em Trindade (GO), na tarde de ontem, se emocionou com a chegada da comitiva dos cava­leiros de Luziânia (GO). Após percorrerem 218 quilômetros em seis dias, eles subiram a es­cadaria da igreja de joelhos em gratidão ao Pai Eterno.

Esta é a 18ª vez que a comiti­va participa da Festa na Capital da Fé de Goiás. No total, 23 mu­ladeiros vieram e ficam na cida­de até amanhã, 29. Com as per­nas trêmulas, o muladeiro Rafael Cardoso disse que a penitência não é sofrimento nenhum, é grati­dão: “É fé! Ela nos traz até aqui. Na nossa turma tem muita gente que sofre, passa fome, não tem nada, mas o Pai Eterno não desampara e nos dá forças para chegarmos bem. Em nenhum momento eu pensei em desistir”.

Para o muladeiro Hugo Mon­teiro, chegar ao Santuário é uma emoção diferente e maior a cada ano. “Nossa comitiva é muito uni­da. Nós temos muito para pedir e, principalmente, para agradecer ao nosso Pai. É um ajudando o ou­tro e nós chegamos com o cora­ção cheio de alegria, prontos para voltar no próximo ano”, afirmou.

A comitiva de Amorinópolis (GO) também chegou ao Santuá­rio ontem. No total, 21 muladei­ros passaram dez dias na estrada de 400 quilômetros até Trindade. Marcos Vinícius de Gouveia Fi­lho, 16 anos, veio por um motivo especial. Em fevereiro deste ano, ele levou um coice de mula no rosto. “Eu sofri muito, passei mui­ta dor e medo. Quase morri. Meu tio, Otávio Paes, fez a promessa de que se eu melhorasse, nós vi­ríamos para trazer uma oferta ao Pai Eterno. Eu sou muito grato, fui salvo e, por isso, estou aqui, graças ao meu Divino Pai Eterno”.

Outra comitiva de muladeiros chegou de Brasília (DF). Cerca de 300 quilômetros e sete dias na es­trada, as 46 pessoas chegaram a Basílica. “A minha esposa sofreu um AVC. Ficou sem fala, sem mo­vimentos e o Divino Pai Eterno nos deu a graça da cura dela. Eu e minha filha estamos aqui por gratidão. Foi um milagre do Pai Eterno. Agradeço a esta comiti­va que me acolheu, me trouxe até aqui e me fez ter esta experiência inexplicável”, relatou o muladeiro Adalton da Silva Camargos.

Aos 70 anos, Valdir Biângulo é o muladeiro fundador e organiza­dor da comitiva. Acompanhado por família e amigos, este é o sex­to ano que ele vem com o grupo. “Eu sempre me emociono ao che­gar à Casa do Pai. Eu peço muito a Deus que me dê saúde para estar sempre aqui. A cada ano, a nossa comitiva cresce. Temos gerações, pais, filhos e filhas que crescem na tradição da fé”, disse.

Manoel João Carvalho Filho, 39 anos, veio pela primeira vez. Agradecido por sua cura após um transplante de rins, ele segurou as lágrimas ao passar na Fita do Bei­jamento, aos pés da Imagem do Divino Pai Eterno. “Eu passei por cinco cirurgias, 50 dias de UTI. Eu realmente achei que morreria, mas graças ao Pai eu estou aqui. Agora, mais que nunca, com o meu coração cheio de gratidão. Tenho certeza que sou um filho amado do Pai Eterno”, declarou.

De Monte Sião (MG), a ro­meira Lourdes Aparecida de Oliveira está em Trindade pela primeira vez. “Eu estou encan­tada com tudo que estou vendo aqui. Em uma única tarde, pude ver o quanto a fé desse povo é grande. Foram muitas histórias de devoção, que representam a força e o poder de Deus na vida de cada um. É realmente uma emoção, uma graça estar aqui e testemunhar a chegada des­ses muladeiros”, finalizou.

 

Eu passei por cinco cirurgias, 50 dias de UTI. Eu realmente achei que morreria, mas graças ao Pai eu estou aqui. Agora, mais que nunca, com o meu coração cheio de gratidão. Tenho certeza que sou um filho amado do Pai Eterno”

Muladeiros ajoelham-se em conjunto, ontem, durante a emocionante chegada ao Santuário(FOTOS: DIVULGAÇÃO)
Tradição perpetuada na atitude dos muladeiros
que todos os anos seguem a Romaria

Comentários

Mais de Cotidiano