Cotidiano

Maioria dos focos do mosquito Aedes aegypti está nas residências, aponta mapeamento

diario da manha

A Prefeitura de Goiânia divulgou neste sábado (08/06) um mapeamento que revelou que grande parte dos criadouros do mosquito Aedes aegypti está nas residências. A pesquisa aponta a mudança de perfil que acumula água e permite a proliferação do vetor. Neste sentido, o campeão tem sido os vasos de plantas que acabam se transformam em ambiente propícios para o mosquito procriar. Outros locais apontados pelo levantamento são bebedouros de animais, ralos de banheiros e vasos sanitários. Em todos esses lugares foram identificadas com muita frequência as larvas do mosquito. Os agentes de endemias da prefeitura também encontraram focos do mosquito Aedes aegypti em materiais descartáveis, pneus, piscinas e utensílios como baldes e tambores, que são usados para armazenar água.

Este ano foram notificados 19.970 casos de dengue em toda Goiânia e três deles evoluíram para óbito. O levantamento atual mostra que as larvas do mosquito Aedes foram encontradas em 0,56% das residências, índice bem abaixo do aceitável pelo Ministério da Saúde, que classifica como satisfatório os valores até 0,99%. Desde o começo do ano até agora foram registradas 51 notificações de casos suspeitos de Chikungunya e 280 do vírus Zika.

Durante as visitas, os agentes de endemias orientam a população sobre a conduta correta para evitar que suas casas se tornem criadouros do mosquito e pedem que ajude a conscientização dos vizinhos. Dentre os principais alertas estão em furar os pratinhos que ficam as plantas para evitar que a água fique parada e vire um criadouro de larvas.

Comentários

Mais de Cotidiano