Cotidiano

Jovem que confessou ter matado o coordenador deve ir para centro socioeducativo

diario da manha

O jovem de 17 anos, suspeito de ter assassinado o coordenador Júlio César Barroso de Sousa, de 41 anos, no Colégio Estadual Céu Azul, em Valparaíso de Goiás, Região Entorno do Distrito Federal, na última terça-feira (30/04), passou por uma audiência no Fórum da cidade nesta quinta-feira (02/05). Como resutado da audiência, a Justiça determinou a internação provisória do adolescente, ue deve ocorrer nos próximos 5 dias. Até que isso ocorra, ele permanecerá detido na Central de Flagrantes de Valparaíso.

O rapaz deve ficar internado até que o inquérito seja concluido. Segundo a Polícia Civil a investigação deve ser conluida em 40 dias. Rafael Pareja, delegado do Grupo de Investigação de Homicído (GIH), disse que o locais cotados para a internação são: Valparaíso, Formosa e Goiânia. Entretanto, o delegado adiantou que o jovem deve ser encaminhado para o Centro de Internação Provisória (CIP) de Goiânia, unidade instalada dentro do Batalhão da Polícia Militar, onde dez adolescentes morreram no ano passado durante um incêndio.

A arma que o adolescente utilizou nos disparos foi localizada pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Valparaíso nesta quinta-feira. Após ser ouvido pelo delegado responsável pelo caso, Rafael Pareja, o adolescente contou que o revólver calibre 32 estava escondido em um lote baldio próximo a casa onde ele morava, na Vila Guaíra, no município.

Segundo as investigações, após efetuar os disparos que mataram o coordenador de turno do colégio, o rapaz saiu correndo e jogou a arma no lote. O delegado contou que o adolescente disse ter adquirido o revólver há cerca de 1 ano e este ficava escondido em casa em um urso de pelúcia.

Comentários

Mais de Cotidiano