Cotidiano

Três mulheres são presas suspeitas de aplicar golpes por telefone

diario da manha

Três mulheres foram presas em Aparecida de Goiânia, suspeitas de integrar um grupo de detentos que aplicavam golpes por telefone em pessoas de Goiás, Distrito Federal, Rio de Janeiro e São Paulo.

A Polícia Civil identificou o presidiário João Carlos Pereira, detido no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia como o responsável pelas ligações. O golpe, conhecido como ‘bença tia”,  consistia em ligações feitas aleatoriamente às vítimas.  O presidiário se identificava como um parente e inventava uma história, por exemplo,  que ele teria sido envolvido em  um acidente de carro. Em  seguida, pedia dinheiro para ajudar a sanar o conserto do veículo.

A Polícia Civil conseguiu descobrir uma vítima da quadrilha, residente em  Nova Veneza. A pessoas disse que chegou a deposita para o grupo R$ 4,5 mil.

Segundo o delegado da Polícia Civil, Divino Batista, as detidas foram identificadas como: Luciene da Silva, Juliana da Silva Souza (filha de Luciene) e Maria Isabel Silva Pinto. Luciene possui passagens por tráfico de drogas e era responsável por aliciar outras pessoas para o esquema. As três mulheres emprestavam suas contas bancárias para que o dinheiro do golpe fosse depositado.

Em Hidrolândia, na residência de Luciene e Juliana, policiais localizaram porções de maconha e cocaína, embaladas para a venda. Também foram encontradas uma balança de precisão e munição de calibre 180.

tags:

Comentários

Mais de Cotidiano

3 de julho de 2019 as 15:11

Morre Wágner Nasser