Cotidiano

Consumo do café não para de crescer no Brasil

diario da manha

Só de falar em café, já dá vontade de tomar uma xícara quentinha. O café é sem dúvida a bebida preferida dos brasileiros, e deve ser por isso que o consumo deste produto não para de crescer no país. Tem como começar o dia sem uma boa xícara de café? Ou então fazer aquela pausa durante a tarde quando bate a preguiça? O café é energia, além de fazer bem para a saúde. Com essa bebida ficamos mais dispostos, além de ser sempre uma boa desculpa para encontrar alguém: “Vamos tomar um café?”

 

E se tratando de economia, informação divulgada  pela  Associação Brasileira de Indústria de Café (Abinc), mostra que  as exportações brasileiras de café solúvel totalizaram 326.172 sacas de 60 kg em maio, apresentando crescimento de 35,18% na comparação com o mesmo mês de 2018.  De acordo com a Abinc, o café solúvel do Brasil vem ganhando mais e mais espaço no mundo inteiro.

 

Um exemplo de brasileira que ama café é Jamile Heirozo, confeiteira, que adora fazer doces. Uma das paixões dela é descobrir novos tipo de café, marcas, aromas, sabores. “Eu amo escolher no mercado um café novo, sempre levo o meu café tradicional e algum café novo que encontro.” Jamille ganhou recentemente uma máquina de café expresso, e agora está se divertindo escolhendo as cápsulas.

 

Além do segmento torrado e moído, outra forma de consumo que vem se destacando, também pelo preço das cafeteiras, são os cafés em cápsulas. Antes, essas máquinas eram mais usadas em escritórios, nas empresas, quase como um artigo de luxo.

 

Hoje, é fácil encontrar uma cafeteira de cápsulas na casa das pessoas que apreciam um bom café. Com variedades de níveis de cafeína, com leite, com menta, com baunilha e por aí vai. Além de ficar visualmente bonito na decoração da cozinha, tanto a cafeteira quantos as cápsulas tem uma estética agradável de olhar.

 

Esse estilo de tomar café caiu no gosto e cada vez mais aparecem novas marcas potencializando nossa vontade de experimentar e incentivando o mercado a produzir mais. Como as cápsulas podem acabar degradando o meio-ambiente, algumas marcas desenvolveram centros de reciclagem para dar destino a essas embalagens e transformá-las em alumínio reutilizável e o café para adubação de plantas.

 

O café também é um importante item da cesta básica, que teve seu custo diminuído no Brasil de acordo com Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada mensalmente pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Diesse) em 17 cidades. Com um preço menor, fica mais fácil consumir mais e mais café. Ou seja: parece que, tão cedo, o consumo dessa bebida tão tradicional não vai parar de crescer.

Comentários

Mais de Cotidiano