Cotidiano

Veja o vídeo do policial civil que surta e briga com guarda civil no Paraná

Policial que surtou foi baleado na perna e após ser atingido pulou do telhado da casa.

diario da manha
Foto: Reprodução

Na manhã desta terça-feira (23/7) um policial civil do Paraná, que está afastado de suas funções na corporação, surtou em Araucária, na região metropolitana capital Curitiba e invadiu uma residência, subiu no telhado e entrou em luta corporal com um Guarda Municipal da Cidade.

Conforme divulgado pela Polícia Civil do Paraná (PCPR), o servidor foi afastado, mas o motivo do afastamento não foi revelado pela corporação e nem o estado de saúde do policial envolvido na ocorrência.

De acordo com um jornal local, a guarda informou que foi chamada após ser informada de que um homem estava em cima de uma casa, quebrando várias telhas. A equipe da GCM esteve no local e um dos guardas subiu em cima do telhado para tentar acalmar o policial, que reagiu e entrou em luta corporal com o agente e tentou roubar a arma do guarda.

Policial civil pulou da casa após ser baleado na perna e foi contido por outros guardas

Para conter o policial, o guarda civil efetuou um disparo na perna do servidor que mesmo após ser baleado pulou do telhado em seguida, e no chão foi contido por outros agentes da GCM. Conforme relatado pela corporação, o policial em surto abondonou carro na frente a um hotel e se dirigiu para a casa onde precisou da força policial para ser contido.

Assista ao vídeo da confusão envolvendo o policial civil no Paraná

Ao vistoriar o carro do servidor da PC, a GCM encontrou um colete, um carregador de uma arma e munições. De acordo com o periódico o policial civil e o guarda foram encaminhados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (SAMU) para o hospital da cidade.

Conforme a matéria veiculada no jornal da cidade, a polícia informou que como foi afastados das funções o servidor não tem acesso a armas ou munições da corporação. O policial vai responder agora a um processo administrativo e pode ser demitido da corporação.

*Com informações do G1

Comentários

Mais de Cotidiano