Cotidiano

Livro de crônicas tem sacadas interessantes

‘Crônicas Para Ler em Qualquer Lugar’ é um convite à ironia, à contemplação, ao sarcasmo e ao lirismo

diario da manha
BÁRBARA LOPES/ AGÊNCIA GLOBO

“Crônicas Para Ler em Qualquer Lugar”, obra escrita pelo jornalista Xico Sá, pela atriz Maria Ribeiro e pelo humorista Gregório Duvivier e lançada pela editora Todavia em setembro deste ano, é um daqueles livros essenciais em tempos de obscurantismo. É uma ode à reflexão, à ironia, à contemplação e ao lirismo, além de ser um retrato mordaz da instabilidade que pairou sob o País nos últimos anos. 

Imagine o seguinte: Maria Ribeiro, famosa por atuar em filmes como “Tolerância”, de 2000, “Histórias de Amor Duram Apenas 90 Minutos”, lançado em 2009, e “Como Os Nossos Pais”, de 2017, escrevendo sobre a falta que o cineasta Domingos de Oliveira faz. Imaginou? Agora, imagine Ribeiro chorando por João Gilberto. Conseguiu? Imagine, então, ela mandando um e-mail cheio de afeto para o cantor e compositor Caetano Veloso.

Calma, tem mais: imagine Gregório Duvivier, fundador do Porta dos Fundos e em cartaz na telona com o longa-metragem “A Vida Invisível”, destilando toda sua verve irônica para criticar a liquidez das redes sociais e sua fissura maluca por likes a qualquer custo. Loucura, né? Imagine ele discorrendo sobre as semelhanças entre Jesus Cristo e um esquerdista numa época cheia de fundamentalismo religioso.  

E Xico Sá, jornalista, cronista e autor do romance “Big Jato”? Mas o que tem ele – deve se perguntar, com razão, o ilustre leitor. Ora, Sá reflete sobre as dores provocadas por uma demissão, abençoa a chegada da filha (e se declara a ela, lindamente) e rói, como só este homem do Crato meio Graciliano Ramos, meio Nelson Rodrigues, mas sempre genial, sabe fazer. Pareceu massa, não?  

Lógico! É justamente esse o clima de “Crônicas Para Ler em Qualquer Lugar”. E assim são algumas dezenas de crônicas reunidas neste livro. Uma parte delas foi publicada em jornais – no Globo, caso de Maria, na Folha de São Paulo, Gregório, e no El País, Xico. Outras – 12 para ser mais exato – foram escritas exclusivamente para fechar a edição do livro, e todas possuem um traço singular: são totalmente originais. 

Mas por que diabos juntar os três num livro? A resposta remonta há alguns anos. Sá, Ribeiro e Duvivier rodam o Brasil desde 2015 com o projeto “Você é o que Você Lê”, onde já levaram 30 mil pessoas a lotar auditórios – sempre falando de literatura, sexo e política. Escritas no decorrer dessa trajetória, boa parte das crônicas está ligada ao contexto político do Brasil, e os três autores possuem um ponto em comum: não poupam críticas a Bolsonaro. 

“Crônicas Para Ler em Qualquer Lugar” é simples, lírico, irônico, sarcástico e contemplativo. Mais: é uma obra que documenta a partir da crônica – gênero jornalístico e literário que havia sumido das páginas dos jornais, retornando na era da internet – o clima que tomou conta do País nos últimos anos. Além disso, aponta como é nosso comportamento em relacionamentos na modernidade líquida. Um livro interessante. 

Ficha Técnica

‘Crônicas Para Ler em Qualquer Lugar’

Autores: Xico Sá, Gregório Duvivier e Maria Ribeiro

Gênero: Crônica

Editora: Todavia

Preço: R$ 44,90

tags:

Comentários

Mais de Cotidiano