Cotidiano

Vacinas da CoronaVac que foram suspensas são aplicadas em Goiânia

A SES-GO havia informado que “todos que foram vacinados com esse lote serão contatados pela prefeitura e que não há necessidade de se dirigirem a alguma unidade”

diario da manha
Foto via: Unsplash

Vacinas da CoronaVac que foram suspensas pela Agência Nacional de Saúde (SMS), chegaram na capital de Goiânia. Cerca de 2,2 mil doses, e foram aplicadas cerca de 1,7 mil doses na população. O restante das doses serão devolvidas a Secretaria do Estado da Saúde de Goiás (SES-GO).

A SES-GO havia informado que “todos que foram vacinados com esse lote serão contatados pela prefeitura e que não há necessidade de se dirigirem a alguma unidade”.

Todas as orientações estão sendo seguidas de acordo com o Ministério da Saúde (MS), por isso “todos os lotes vão estar suspensos e irão ficar armazenados até a avaliação da Anvisa e Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS)”.

Já foram aplicadas cerca de 6.243,274 doses desde o início da campanha de vacinação contra a Covid-19, sendo dos laboratórios Janssen, AstraZeneca, Pfizer e CoronaVac. No total, o estado já recebeu cerca de 7.480,760 vacinas.

Lotes suspensos

Anvisa determinou neste sábado (4), a interdição cautelar de alguns lotes da CoronaVac, não podendo ser aplicada e nem distribuída, pois, não foram aprovadas na Autorização de Uso Emergencial (AUE). A resolução foi publicada no Diário Oficial da União (DOU).

Segundo a Agência, são mais de 12 milhões de doses que estão nessa situação e não podem ser aplicadas.

o Instituto Butantan disse em nota que “a medida da Anvisa não deve causar alarmismo” e que o próprio instituto alertou a agência por “extrema precaução”. O Butantan declarou ainda que “convida a cúpula da Anvisa para voltar a conhecer as instalações das fábricas da Sinovac” na China.

O Instituto Butantan informou que outros 17 lotes, também envasados no local não inspecionado pela Anvisa, e que somam 9 milhões de doses, estão em tramitação de envio e liberação ao Brasil.

#Informações do G1

Leia Também

Comentários