Cotidiano

Cuidadora manda currículo para asilo e é menosprezada por erros de português

Atendente corrigia a cuidadora a todo instante, e chegou a dizer que os erros de português eram o motivo de ela não arrumar emprego

diario da manha
Foto: Reprodução/WhatsApp

Uma cuidadora de 43 anos foi menosprezada pela atendente de um asilo, ao mandar currículo com erros de português. O fato ocorreu em Sorocada (SP), na quinta-feira, 14.

Nas mensagens, a atendente corrigia a cuidadora a todo instante, e chegou a dizer que ela não conseguiria emprego devido aos erros linguísticos.

A mulher printou a tela da conversa, onde a atendente sugere que ela faça um curso de de português. Cristiane tenta se explicar, mas a mulher continua a corrigi-la. “Não é agente, é a gente”, escreve a atendente.

A cuidadora afirmou ter enviado o currículo por indicação de um amigo, que afirmou que o asilo precisava de novos funcionários. Mas a partir do momento em que enviou o documento, foi tratada com desprezo.

“Eu me senti muito mal. É muito triste pensar que existem pessoas assim, principalmente trabalhando com idosos. Fiquei chateada porque não sou uma pessoa do mal. Fiz o curso, estou procurando emprego e batalhando por isso. Eu errei, alguns deles foram o corretor e não consegui arrumar. Foi sem querer”, afirma.

Cristiane pediu desculpas e tentou enviar novas mensagens, mas foi bloqueada pelo número da clínica.

Procurada, a clínica informou que não tinha conhecimento do ocorrido e que “lamenta muito este tipo de onduta” e que não concorda com o comportamento da atendente.

Além disso, afirmou que fará apuração interna em relação ao ocorrido, mas que já identificou que “nenhum dos empregados e funcionários foi emissor das mensagens”.

“Continuaremos as investigações internas e, caso algum prestador de serviços tenha realizado a conduta em nome da empresa, adotaremos as medidas corretivas necessárias”,  completa a nota.

Leia também

Comentários