Cultura

Irando na Capital

Banda Ira! se apresenta no palco do Flamboyant In Concert com a nova turnê e promete um show para relembrar

diario da manha

 

 Johny Cândido,Da editoria DMRevista

Núcleo Base, um dos grandes hits do Ira!, é tema da turnê que chega ao Flamboyant In Concert, hoje, às 19h30. O público pode esperar um show eletrizante repleto de sucessos da banda, que traz Nasi nos vocais e Edgard Scandurra na guitarra e vocal. Outros destaques serão Evaristo Pádua na bateria, Johny Boy nos teclados e Daniel Rocha no contrabaixo. Depois de um recesso de sete anos, eles são presença em vários shows. Os fãs, ávidos por ver a banda mais emblemática de São Paulo, irão ao delírio com esse reencontro, que parecia improvável tempos atrás. No repertório, clássicos absolutos como Flores em Você, Dias de Luta, Nucleo Base, Tolices, Envelheço na Cidade, Quero Sempre Mais, Tarde Vazia e Girassol.

 

Ira! – Trajetória

No final dos anos 70, Edgard Scandurra e seu amigo Dino Nascimento resolveram montar uma banda que tocasse punk. Nascia aí a banda Subúrbio. Nessa época, Edgard estudava no Colégio Brasílio Machado, onde volta e meia topava com um sujeito esquisito chamado Marcos Valadão Rodolfo, de apelido Nasi. Mesmo sem conhecê-lo, Edgard sentia simpatia pelo modo com que ele se vestia, e num desses encontros, os dois acabaram se conhecendo e ficando amigos.

Mais tarde, Edgard chamou o Nasi para participar do Subúrbio, no festihits do Ira!. Em 1980, Edgard foi convocado para servir o Exército, e foi lá onde Edgard iria compor N.B. (“Núcleo Base”), que por sua vez, também viraria um grande hit do Ira!.

Em 1981, Nasi chamou o amigo Edgard para tocar num show na PUC e ali surgiu o Ira, ainda sem exclamação. Completavam a formação o baterista Fabio Scattone, e o baixista Adilson.

Embora muitos acreditem que o nome “Ira” fosse inspirado no Exército Republicado Irlandês, na verdade ele remete ao sentimento de ira. Como houve muitos enganos sobre o nome, foi incrementado um ponto de exclamação na tentativa de acabar com outras interpretações, alterando, assim para “Ira!”.

Dois anos se passaram até o produtor Pena Schimidt descobrir a banda, nessa época contando com Charles Gavin (que viria a se tornar membro dos Titãs) na bateria e Dino (companheiro da antiga banda Subúrbio) no contrabaixo. Pena os levou até a gravadora Warner, onde o Ira! gravaria seu primeiro compacto, IRA, que contava com as músicas Gritos na Multidão e Pobre Paulista.

Em março de 1985, após trocar Dino por Ricardo Gaspa e Charles Gavin pelo ex-titãs André Jung, o Ira! gravou seu primeiro LP, Mudança de Comportamento, que conta com 11 faixas, entre elas Núcleo Base, Ninguém Precisa de Guerra], Longe de Tudo e Ninguém Entende um Mod.

No ano seguinte, com maior prestígio dentro e fora da gravadora, a banda lançou o LP Vivendo e Não Aprendendo. O disco, lançado em setembro, era uma obra prima, trazia grandes hits como Envelheço na Cidade, Vitrine Viva, Pobre Paulista e Gritos na Multidão, sendo as duas últimas gravadas ao vivo na Broadway, em São Paulo.

O primeiro disco da década de 90 foi o Clandestino, que trazia fortes influências do Cinema Novo, que produziria bons momentos como Nasci em 62, Melissa (com a participação especial de Paulo Villaça – Bandido da Luz Vermelha), Cabeças Quentes e Consciência Limpa.

Em 1993, Nasi lançou o primeiro disco solo com o projeto paralelo Nasi & os Irmãos do Blues, trabalho este voltado para o rhythm and blues.

Em 1994, o grupo lançou o sexto disco Música Calma para Pessoas Nervosas, obra que viria encerrar um ciclo do Ira! junto à Warner . Esse disco, autoproduzido pelo grupo, teve como destaque a música Arrastão.

Em 1995, o grupo lançou o disco 7 (o primeiro CD-ROM da banda, antes eram LPs) com destaque para É Assim que me Querem. Como faixa bônus, Nasci em 62, tirada de um show com participação de Arnaldo Antunes. O álbum foi gravado logo após uma turnê de quatro shows no Japão que culminaram com uma apresentação antológica no Club Cittá, templo do Rock no Japão.

No final de 1996, Edgard lançou seu segundo disco solo “Benzina”, mesclando o rock clássico, já presente no Ira!, com novas tendências de música eletrônica.

Em maio de 1998, o Ira! lançou o ousado Você Não Sabe Quem Eu Sou, álbum que incorpora algo da atitude criativa de “Psicoacústica” ao fazer do estúdio um laboratório para a criação de arranjos inusitados, o disco recebeu o prêmio de “Melhor Produção de Rock” da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte).

Em novembro de 1999, o Ira! lançou o aclamado Isso É Amor, CD que rapidamente ganharia as rádios e o prestígio de crítica levando o Ira! a ser considerado pela APCA “O Melhor Grupo de Música Popular de 1999”.

Em 2000, a banda lançou o MTV Ao Vivo gravado no Memorial da América Latina, em comemoração aos vinte anos de sucesso. Não faltam clássicos como Tolices, Envelheço na Cidade, É assim que me querem e Flores em você. Seguido desse sucesso de vendas (cerca de 160 mil exemplares em CD e mais de 21 mil em DVD), o Ira! apresenta-se no Rock In Rio III, no ano de 2001, para 250 mil pessoas (o recorde de público no Festival), um dos momentos mais marcantes na carreira da banda.

Em 2001, o grupo lança o CD Entre Seus Rins, apenas com músicas inéditas. Sendo a faixa Entre Seus Rins, que traz o nome do álbum, um grande sucesso.

Em 2007, retornando a inéditas e ao rock clássico, o grupo lançou o álbum intitulado Invisível DJ. Ao todo, o disco contém 12 faixas, com direito a regravação de Feito Gente, composta por Walter Franco na década de 70. No mesmo ano a banda optou por finalizar os shows e dar um tempo das apresentações. Com isso, os integrantes da banda começaram a tocar seus projetos paralelos.

Em meados de 2013 a banda retomou aos palcos para um show beneficente com a participação especial de Paulo Ricardo e Arnaldo Antunes. Após esse show, surgiu a possibilidade de um retorno definitivo aos palcos. E, depois de um recesso de 7 anos, o Ira! está de volta. O guitarrista Edgard Scandurra e o vocalista Nasi retomaram os ensaios em Março de 2013 e desde então já se apresentaram em varias cidades ao redor do Brasil.

Edgard Scandurra e seu amigo Dino Nascimento resolveram montar uma banda que tocasse punk
Edgard Scandurra e seu amigo Dino Nascimento resolveram montar uma banda que tocasse punk
  • ENTREVISTA

Em um rápido bate-papo com o DMRevista, a Banda Ira respondeu algumas perguntas ”pingue-pongues”, confira:

DMRevista — Quais são as expectativas para o show no Flamboyant In Concert?

Banda Ira — Ver o público responder a cada acorde e a cada hit na mesma intensidade que tocamos.

 

DMRevista — O que o público goiano pode esperar da apresentação?

Banda Ira — Podemos garantir muito rock’n’roll e atitude.

 

DMRevista — Como é trazer a turnê para Goiânia?

Banda Ira — Maravilhoso. Porque o público goiano sempre foi muito receptivo com a banda.

 

DMRevista — Como surgiu a ideia da turnê?

Banda Ira — Desde que voltamos ao palco em São Paulo e vimos a galera vibrar com o nosso repertório, nos comprometemos a iniciar essa turnê pelo Brasil como um presente a nós e aos fãs pela volta da banda.

 

DMRevista — O que a banda espera para o futuro e o que os fãs podem esperar da carreira do Ira?

Banda Ira — Estamos pensando em novos trabalhos e esperamos poder compartilhar isso com a galera em breve.

Edgar Scandurra e Nasi
Edgar Scandurra e Nasi

Próximos Shows

23/06 — Fábio Jr.

25/08 — Zé Ramalho

22/09 — RPM

27/10 — Maria Rita

 

Como adquirir ingressos para os próximos shows

Em todas as apresentações, o evento terá capacidade de público para cerca de três mil pessoas em cadeiras numeradas e organizadas por setor. Com shows cada vez mais concorridos, os ingressos são limitados a três convites por CPF e podem ser adquiridos mediante trocas de notas fiscais de lojas do Flamboyant com valores a partir de R$ 500.

 

Confira a mecânica por setores

Os clientes poderão adquirir seus ingressos no posto de trocas – no Piso 3, próximo a Centauro.

 

Setor 1 – vermelho* – cada R$ 1.200,00 em compras, um ingresso (limitado a três convites por CPF).

Setor 2 – verde* – cada R$ 800,00 em compras, um ingresso (limitado a três convites por CPF).

Setor 3 – azul* – cada R$ 500,00 em compras, um ingresso (limitado a três convites por CPF).

 

OBS: Importante observar o período vigente das notas fiscais para cada show, conforme regulamento. Para o próximo show com Fábio Jr., por exemplo, serão aceitas notas fiscais de compras efetuadas entre 1º a 23 de junho de 2015 ou enquanto houver ingressos disponíveis para troca.

 

Show Ira!

no Flamboyant In Concert

Quando: Hoje, ás 19h30

Onde: Deck Parking Sul – Piso 1

Classificação etária: livre

Ingressos:  esgotados

Informações: 3546-2016

Comentários

Mais de Cultura

26 de junho de 2019 as 14:42

Sol em Câncer e a cura emocional

14 de junho de 2019 as 19:24

GIRO PELA FIEG

12 de junho de 2019 as 08:50

Quíron, o segredo da cura

11 de junho de 2019 as 08:36

Questão Social: Um breve olhar

7 de junho de 2019 as 08:46

Astrologia; seja bem-vindo, junho!

30 de maio de 2019 as 08:46

Alego promove seminário de Turismo

28 de maio de 2019 as 09:17

Festa junina no Goiânia 2

16 de maio de 2019 as 11:29

Vênus entra em Touro